sábado, 29 de junho de 2013

A opção Lula


O Datafolha acaba de divulgar a pesquisa de intenção de votos. Dilma e Marina Silva disputariam o segundo turno se as eleições fossem hoje. A diferença entre as duas seria de 7%. O que indica que a crítica das ruas contaminou a avaliação avassaladora contra todo sistema partidário. Marina é vista como outsider, mas duvido que se sustente sem estrutura de apoio pelo país afora.
Contudo, escrevo para analisar o "fator Lula".
Todos jornalistas começam a cogitar a volta de Lula à disputa de 2014.
Gostaria de ponderar sobre os riscos desta possibilidade.
Tentemos imaginar que se torne um fato. A questão seria: quando ele voltaria ao centro do cenário? No próximo semestre? Se assim o fizer, deslegitima o governo Dilma Rousseff. Teria que aparecer ao redor dos ministros, como fez com o secretariado de Haddad, na primeira reunião do prefeito eleito na capital paulista.
Caso aguarde 2014, antes das convenções de junho, teria que se investir da figura de Mito, como alguém tocado por Deus e que teria a missão de salvar o país. A situação seria muito perigosa, porque o discurso da salvação teria sentido num cenário de crise. Para tanto, Lula teria que se postar acima de seu próprio partido. O líder carismático, neste caso, confundiria a sua pessoa com a da Nação. Algo profundamente perigoso para nossa jovem democracia.
Não seria chavismo, porque se trata de um líder político (não militar), ex-Presidente da República e que articula muitas instituições de representação. Mas como faria a ponte entre sua imagem mágica e as organizações que o apoiariam?
Enfim, não se trata de um cenário tão tranquilo e certo.
A água continua rolando por debaixo da ponte.

3 comentários:

Márcio Lima disse...

Não se considerou o Fator Joaquim Barbosa, que já prega a candidatura avulsa, o que estará com certeza na Reforma Política. Voto Facultativo também.

Luena Perdigão Guerra disse...

Sobre o processo na Justiça Federal, em que Lula é réu por improbidade administrativa,atrapalharia sua volta às urnas,ou conseguiriam dar a volta por cima desse episódio?Afinal,seu opositor Aécio Neves também é réu.

Rudá Ricci disse...

Luena,
Chance alguma desta denúncia render algo. Esqueça. Nem o mensalão tucano tem garantias de render algo.