sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Serra e o cavalo paraguaio

Não tem jeito. Sai na frente, fica isolado na dianteira e despenca. A sina parece atingir, mais uma vez, José Serra.
O Estadão de hoje destaca pesquisa IBOPE em que Serra aparece empatado com Haddad (dentro da margem de erro, já que o candidato tucano tem 20% e o petista, 16%). Russomanno continua na dianteira com 31%, o que, até agora, desmancha o prognóstico geral e irrestrito que cairia com o início da propaganda eleitoral na TV. Quem despenca, na verdade, é Serra. Em duas semanas, caiu 6% (no IBOPE) e Haddad subiu 7%. Em outras palavras, se a trajetória se confirmar, na próxima pesquisa do instituto de pesquisa, Haddad já estará à frente de Serra em mais de 10%. O que deixa no ar o papel de Lula na campanha (ainda não foi possível medir o impacto da entrada de Marta Suplicy no apoio explícito à Haddad).
O mais impressionante é o aumento considerável do índice de rejeição de José Serra que atinge 34% no IBOPE (no Datafolha, já teria ultrapassado a marca dos 40%). Um lastro negativo da candidatura tucana é o atual prefeito: a gestão Kassab é avaliada ruim e péssima por 48% dos paulistanos. A avaliação de Alckmin é avaliada como ótima e boa por 40% dos paulistanos e a de Dilma Rousseff também avaliada assim por 53% dos eleitores da capital paulista.
Aqui, uma breve comparação com a campanha petista de SP e BH. A assessoria de Haddad prepara fatos políticos quase diários à Serra e Kassab, explorando bem as fissuras de gestão e personalidade. Hoje, Haddad ataca a taxa de lixo e no meio de semana havia atacado o caso do atendimento precário de um paulistano pelo serviço médico público. Patrus, ao contrário, fica preso ao seu discurso de sempre, de bom moço, sem se contrapor à gestão ou personalidade do seu adversário.

2 comentários:

José Antônio Lima Santos disse...

Rudá Ricci, o Márcio Lacerda é considerado o melhor prefeito do Brasil e gasta milhões na campanha, por que ela não sai da casa dos 46% das intenções de voto? Acho que a disputa de BH prepara fortes emoções para os apaixonados em política.Concorda comigo?

SENÔ JÚNIOR disse...

Eu mesmo pensei que Serra seria a preferência do povo da cidade de São Paulo.A considerar estes números estou errando feio.Na esteira desses números muitas cidades do interior do Estado também deitarão seus votos em candidados de outros partidos, deixando o PSDB à deriva.