segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Tensão entre PT e PSB

Lula cedeu demais. E Campos foi ocupando espaços abertos. Até que lançou a candidatura própria em Recife, quase ao mesmo tempo que Erundina e Marcio Lacerda humilharam o PT. Agora, parece que vem o troco. Vejam o artigo abaixo:

Dilma barra Eduardo no Palácio do Planalto e agrava crise entre PT e PSB


16/08/2012 13:59

Por Ricardo Antunes

O governador Eduardo Campos foi barrado no Palácio do Planalto ao tentar uma audiência com a presidente Dilma Rousseff. A informação foi dada pela Folha de São Paulo em sua edição de hoje (quinta). Ele está em Brasília desde terça-feira e, ontem, segundo a colunista Vera Magalhães, teria tentado um contato com a presidente para tratar de assuntos administrativos e conversar sobre política mas não obteve sucesso. A presidente nem sequer teria retornado seu telefonema para a supresa e irritação do governador .
Para observadores, esse foi um evidente sinal de que Eduardo não está mais com tanto prestígio assim depois que rompeu com o PT Recife o e lançou a candidatura do seu ex-secretario, Geraldo Júlio, contra o senador Humberto Costa. Desde então, Eduardo vem se esforçando para passar a impressão de que a questão é apenas regional, que mantém sua boa relação com o ex-presidente Lula e que apóia a reeleição de Dilma para 2014.
Por sua vez, os petistas dizem justamente o contrário. Para a cúpula nacional do PT, Eduardo Campos foi “ingrato” com o presidente Lula, que trouxe as principais obras para seu governo, “traiu” o projeto da Frente Popular ao isolar o PT no estado se alinhando com seu maior inimigo, o senador Jarbas Vasconcelos, e, na verdade, faz jogo duplo com a presidente Dilma Roussef já que carrega a obsessão de ser candidato a sucessão presidencial em 2014. “Isso é apenas o começo”, disse um parlamentar ao ser indagado sobre a negativa da presidente Dilma em receber o governador. Para ele, foi um claro sinal de que, haverá sim, retaliação a forma “ansiosa” com o governador pernambucano tem conduzido suas articulações política sem levar em consideração o apoio que o PT lhe deu na primeira hora quando do segundo turno contra o candidato de Mendonça Fiho, em 2006, que tinha o apoio de Jarbas Vasconcelos.Os jornais locais não repercutiram a informação da Folha de São Paulo.
"Ele errou, foi arrogante e esqueceu que em política a deslealdade tem um preço ”, acrescentou o parlamentar lembrando que o todo poderoso José Dirceu, o presidente Rui Falcão e o senador Humberto Costa já prometeram “troco” em 2014 quando o governador tentará fazer o seu sucessor. Eduardo Campos também teria ficado irritado com a forma “jocosa” como foi tratado nessa quinta pelo senador Humberto Costa e pelo próprio ex-presidente Lula que estava gravando uma participação para o guia eleitoral do PT, em São Paulo. O fato ocorreu na sede da produtora do marqueteiro Joaõ Santana na zona sul de São Paulo.
Aos ouvidos do governador chegou a informação que o ex- presidente teria brincado com ao fato dele ter dito que ganharia a eleição no primeiro turno. ” Ele não vai ganhar nada.Quem vai ganhar somos nós do PT”, teria dito, Lula em direção a Humberto Costa e provocando risos entre os presentes. No PT, também é lembrado que o governador dificilmente terá terá o apoio do partido na sua sucessão o que esfacelaria de vez a Frente Popular que rachou esse ano.
Por falar em 2014, quem estaria tentando amenizar a irritação do ex-presidente Lula com Eduardo Campos é o ex-ministro José Múcio Monteiro. Ele goza de prestígio com Lula e tem linha direta com o ex-presidente de quem foi “bombeiro” no episódio do “mensalão” que está sendo julgado pelo STF. Com trãnsito livre também com o governador, Múcio está tentanto aparar as arestas que ficaram pelo rompimento politico com o PT a pedido próprio Campos. O ” núlceo duro” do partido, no entanto, já trata o governador como “inimigo” a ser batido nas próximas eleições municipais.
Eles acreditam que Eduardo Campos, em caso de naufragio econômico do Governo Dilma, não teria qualquer hesitação em se compor com o tucano Aécio Neves (PSDB) para alimentar seu sonho de se candidatar ao Planalto. “Ele não foi correto conosco nem com o presidente Lula”, repete com mantra as princiapis lideranças petistas.
Um sinal eloquente de que a “guerra” entre o PT e PSB está apenas começando. E terá forte desdobramentos nas próximas semanas


Um comentário:

SENÔ JÚNIOR disse...

Era natural que uma hora a corda esticasse mais, mesmo porque nunca imaguinei o PT sedimentando o caminho de Dudu Campos para o Planalto.Lançam Humberto Costa para prefeito e quem sabe para governador. Dudu o sonho acabou.