segunda-feira, 18 de março de 2013

Troca de ministros

Não foi uma mera troca de guarda. Os dois novos ministros do PMDB (Moreira Franco e Antônio Andrade) indicaram a ascensão deste partido na coalizão presidencialista. Não é a única demonstração que o Planalto já conta com a candidatura de Eduardo Campos, pelo PSB.
Mas o mais significativo foi a queda de Brizola Neto, substituído por Manoel Dias, também do PDT. Dilma foi pragmática, já que Brizola a apoiava desde a primeira hora. Preferiu atrair Lupi, que tem o comando do partido nas suas mãos. Resta aguardar se efetivamente conseguirá recompor a coalizão com o PDT, cada vez mais arredio e distante (em especial, em relação ao mundo sindical e a versão paulista).
Avalio que foi a primeira ação mais enérgica e pragmática de Dilma no campo das articulações políticas.
Já foi registrado pela grande imprensa que a Presidente vem se esforçando (de maneira um pouco caricatural) em emplacar um discurso mais popular e contundente.
A campanha começou, efetivamente.

2 comentários:

Unknown disse...

E existe discurso popular que não seja "caricatural"?

Rudá Ricci disse...

Boa pergunta