quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Direção municipal do PT de BH questiona Datafolha

Recebi a seguinte nota da direção municipal do PT de Belo Horizonte:









PESQUISA DATAFOLHA PARA PREFEITO DE BH SOB  SUSPEITA
Após questionamentos e críticas, Datafolha é obrigado a admitir que aceitação de Lacerda cresceu apenas entre eleitores de renda mais alta.
"A utilização de critério que não acompanham a realidade do universo de eleitores da capital mineira para totalização e apresentação do resultado da pesquisa eleitoral apresentada ontem pelo Instituto Data Folha demonstra o quanto o instrumento de aferição da vontade do eleitor pode ser manipulado", denunciou um integrante do Ministério Público Eleitoral.
Diante da constatação e da eminente abertura de inquérito para apurar a possível fraude praticada, o jornal "Folha de São Paulo" noticiou nesta quarta feira (12) que o prefeito de Belo Horizonte e candidato a reeleição, Marcio Lacerda (PSB), cresceu 14 pontos apenas entre eleitores com renda entre cinco e dez salários mínimos e Patrus Ananias (PT) avançou mais entre os eleitores com renda de até dois salários mínimos (quatro pontos).
Lacerda cresceu também quatro pontos entre os eleitores com renda acima de dez salários, 3% do eleitorado da capital. Nesse grupo, Patrus caiu 4 pontos. E no grupo com renda de cinco a dez salários, 6% do eleitorado, o petista caiu seis pontos. Entre os mais pobres, que representam 85% do eleitorado de Belo Horizonte, Patrus cresceu, enquanto Lacerda caiu cinco pontos no grupo com renda até dois salários. No grupo seguinte, de três a cinco salários, o petista oscilou positivamente três pontos.
"Se mantido a tendência de crescimento e queda, levando-se em consideração o verdadeiro universo (estatístico) do eleitorado de Belo Horizonte, mesmo se Lacerda estiver hoje na frente da pesquisa, a reversão deste quadro é eminente, pois 4% de 85% representam número maior de votos que 14% de 6%", conclui.
Estaríamos diante de um novo "Caso Proconsult"?

Um comentário:

Dexter Ren disse...

Pelo visto, ainda tem muita água pra rolar debaixo da ponte...