quarta-feira, 20 de junho de 2012

ONGs declaram que não concordam com documento final


Em declaração lida por Wael Hmaidan, da Rede de Ação Climática, durante plenária realizada esta manhã (20/6) no Rio Centro, as ONGs afirmam que se está à beira de transformar a Rio +20 em tentativa frustrada, com os governos apenas tentando proteger seus interesses estreitos em vez de inspirar o mundo e devolver a fé na humanidade. "Ele [o texto] não reflete de forma alguma a nossa aspiração, e, portanto, exigimos que as palavras 'com plena participação com a sociedade civil' sejam removidas do primeiro parágrafo".


Leia a declaração das ONGs lida hoje pela manhã no Rio Centro por Wael Hmaidan, da Rede de Ação Climática.

Eu estou fazendo esta declaração em nome das ONGs na Rio +20.
É uma sensação incrível estar nesta sala entre todos os líderes mundiais e sentir ao meu redor todo esse poder que pode moldar o mundo. Nós todos conhecemos a ameaça diante de nós e eu não preciso repetir a urgência. A ciência é muito clara. Se não mudarmos nos próximos cinco a dez anos a forma como as nossas sociedades funcionam, estaremos ameaçando a sobrevivência das gerações futuras e todas as outras espécies do planeta. No entanto, vocês sentados aqui nesta sala tem o poder de reverter tudo isso. O que vocês podem fazer aqui é o sonho de cada um de nós: ter a oportunidade de sermos os salvadores de todo o planeta.
E no entanto estamos à beira de transformar a Rio +20 em tentativa frustrada, com os governos apenas tentando proteger seus interesses estreitos em vez de inspirar o mundo e de nos devolver a fé na humanidade que precisamos. Se isso acontecer, seria um grande desperdício desse poder e desta oportunidade de liderança.
Não se pode ter um documento intitulado "o futuro que queremos" sem qualquer menção aos limites planetários, pontos de inflexão ou à capacidade da Terra. O texto, tal como está, perdeu completamente o contato com a realidade. Só para ficar claro, as ONG aqui no Rio de modo algum endossam este documento. Já há mais de 1.000 organizações e indivíduos que assinaram em apenas um dia a petição chamada "O Futuro Que Não Queremos" que recusa totalmente o texto atual. Ele não reflete de forma alguma a nossa aspiração, e, portanto, exigimos que as palavras "com plena participação com a sociedade civil" sejam removidas do primeiro parágrafo.
Se vocês adotarem o texto em sua forma atual, vocês deixarão de garantir um futuro para as futuras gerações, incluindo seus próprios filhos.
Para citar alguns exemplos de falhas no documento:
Na questão de encontrar recursos para implementar o desenvolvimento sustentável, vemos países que usam a crise econômica como uma desculpa, enquanto ao mesmo tempo gastam centenas de de bilhões de dólares com subsídios à indústria de combustíveis fósseis, a indústria mais lucrativa do mundo. A primeira coisa que vocês podem fazer é eliminar os subsídios prejudiciais existentes, especialmente os subsídios aos combustíveis fósseis, que foram eleitos como a questão número um durante os diálogos com a sociedade civil.
Sob a seção oceanos, vocês falharam em dar um mandato claro para pelo menos começar a negociar um acordo de implementação que interrompa o abuso estilo Velho Oeste do alto mar.
Existem muitas outras falhas no documento relacionadas à saúde reprodutiva da mulher, oportunidades perdidas para começar novos tratados globais sobre a participação da sociedade civil e em relatórios de sustentabilidade, a extraordinária falta de qualquer referência a conflitos armados, à energia nuclear (especialmente à luz do desastre de Fukushima ) e muitos outros.
Mas não é tarde demais. Nós não acreditamos que tudo tenha acabado. Vocês estarão aqui por mais três dias e vocês ainda podem inspirar-nos e ao mundo. Seria uma vergonha e um desperdício para você vir aqui só para assinar um documento. Nós o incentivamos a criar vontade política nova que nos façam ficar de pé e aplaudir vocês, como nossos verdadeiros líderes.

Um comentário:

SENÔ JÚNIOR disse...

Esqueceram-se de citar a indústria de armamentos.