quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Minas precisa de um Suplicy ou um Freixo

Vergonha.

Primeiro, um deputado tucano resolve presentear seu chefe de gabinete com 1 milhão (dinheiro público). Sérgio Bezerra recebeu esta quantia através de emenda parlamentar do deputado federal Eduardo Barbosa (PSDB-MG). A notícia já deixaria qualquer cidadão indignado. Mas aí, veio a farra geral. Nada mais que 1/4 dos vereadores da Câmara Municipal de BH foram acusados de intermediar a cobrança de propina para aprovar o Projeto de Lei 1600/2008 que autoriza a ampliação da área de construção do Boulevard Shopping, região leste de Belo Horizonte. Dois desses vereadores foram afastados do cargo por decisão do juiz, Alyrio Ramos. Se identificarmos os partidos desses vereadores, somarmos com o deputado tucano e juntarmos com o gasto de gasolina da Câmara Municipal neste ano, além do vereador da cueca, Gêro (até ontem, do PSB, partido do prefeito), temos uma radiografia do sistema partidário mineiro.



O que falta é justamente um parlamentar que tenha coragem de enfrentar seus pares envolvidos nessas negociatas, tal como Marcelo Freixo faz no RJ ou Eduardo Suplicy fez quando presidiu a Câmara Municipal de São Paulo. Há muito discurso em Minas e poucos atos concretos.










3 comentários:

Unknown disse...

Rudá,
um detalhe. Eduardo Barbosa atende diretamente entidades filantrópicas, especialmente APAES. Ter um assessor desta área não seria estranho. A transferência em si não seria errada, a não ser pela própria existência de emendas parlamentares.
Digo isto pq o seu texto dá impressão de falcatrua diretamente, o que pode ser só inconveniência ética. O que está errado mesmo...

Rudá Ricci disse...

Desconhecido,
A matéria do jornal O Tempo é clara. A Polícia Federal e a Controladoria Geral da União receberam a denúncia (não apenas informação). O subtítulo da matéria diz: "Há suspeita de uso eleitoral". Também há uma segunda chamada, na mesma matéria: "especialista diz que prática ofende a moralidade e ética públicas".
Portanto, a situação é bem pior do que você sugere em sua mensagem.

LuisC disse...

Falcatrua mais explícita, impossível. O dinheiro para 34 entidades, em ativdades prévias às eleições e também durante as eleições, já mostra uso ilegal da emenda. Até troféu com nome dele foi dado em concurso com o tal dinheiro.
Chequem os mapas eleitorais dele e veja o "roteiro" se confirmando!