quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Marcio Lacerda: de 3 milhões para 1 milhão

A mobilização social de BH havia economizado R$ 14.129.526,60 aos cofres públicos nos próximos quatro anos, ou pouco mais de 3,5 milhões ao ano, com o fim do trem da alegria do aumento de salários dos vereadores. Aí, o prefeito resolveu conceder outro trem e criou novos cargos de assessoria na Câmara Municipal (salários que variam de 5 a 9 mil reais mensais). Mexeram outra vez no nosso bolso: o impacto mensal anual será de 1,16 milhão. 
Entendo que o jogo entre poderes exige negociação. Mas não vejo o motivo para ceder tanto. E de maneira que coloca por terra o ganho político do veto. Diria até que faltou, além de jogo mais duro com os vereadores, astúcia do prefeito. Maquiavel dizia que notícia ruim se conta de uma vez, ao contrário das boas. Lacerda fez tudo muito rápido: a boa veio de uma vez e a ruim dois dias depois. 
Maquiavel dizia que um governante tem que ter a força de um leão e a astúcia de uma raposa. Não me lembro de nenhum bicho ligeirinho, tipo hamster, nesta história.

Um comentário:

Júnior ... Eskelsen D. disse...

Máquiavel não é um bom exemplo
para se ter por parâmetro de nada,
o negócio é fazer o certo e o útil,
não sancionar cargos que ninguém
sabe para que servem.