segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Efeitos do hiperliberalismo

Recebi este fantástico conjunto de slides da apresentação do economista chefe de Obama, Alan Krueger, intitulado The Rise and Consequences of Inequality.
Os slides começam com a comparação da taxa de crescimento real em relação à renda familiar nos EUAem dois períodos (1947-1979, praticamente o período pós-guerra até a crise mundial do petróleo; e 1979-2010)


Vejam a maravilha da ausência de controle estatal na maior economia do mundo.
Agora, vejam o slide 5 desta apresentação oficial: indica a desigualdade social recorde:

E o título do próximo silide já é uma declaração de desespero: demonstra que se a renda tivesse crescido nos anos 2000 como na década anterior, a mediana da renda das fam~ilias teria um extra de 8.900 dólares anuais em 2010!!! Que tal?


Como diz o grande amigo que me enviou estes slides: "os dados mostram, sobretudo, o lastro social para a emergência de tantas maluquices políticas nos Estados Unidos, do Tea Party aos neoevangélicos, assim como a indecisão republicana sobre a escolha do mais ortodoxo, ultradireitista, ultraliberal, etc."

3 comentários:

euzinhooo disse...

O Controle estatal é necessário para o equilíbrio da economia. Macro visão. Visão do todo. Sem controle estatal, o mercado é volúvel e instável e não pensa no todo da sociedade. O mercado por si só, é egoísta e competitivo. Sociedade pressupõe bem estar comum.

AngelMira disse...

Desse contexto, o que se espera?

SENÔ JÚNIOR disse...

O liberalismo tem lá seus pontos positivos, mas existem setores em que a presença estatal é indispensável.Muito da privatização que houve poderia ter sido evitada se não fosse o liberalismo adotado por FHC e sua turma.