sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Avaliação de dirigente do PSOL de SP sobre a saída de Heloísa Helena

Avaliação de Givanildo Manoel:


1o Esssa chantagem da HH é velha, desde 2010 ela fala que sairá, não sabemos honestamente porque ela ainda não foi;

2o Essa situação criada pela HH tem origem na discussão da candidatura a presidente de 2010 quando a HH não aceitou a sua indicação pelo partido e aceitou e queria que o partido apoiasse a Marina Silva e seu projeto de ambientalismo capitalista;

3o O partido não aceitou e teve prévias com 3 nomes, Babá, Plinio e Martiniano(laranja apoiado por HH, se fosse escolhido abriria mão para apoiar Marina), esse último apoiado por ela;

4o ela fez campanha para senadora sozinha em Alagoas, não aceitou ajuda do partido deixou que Renan Calheiros por exemplo espalhasse Outdoors com ele e ela por Alagoas, acabou perdendo;

5o Tem tentado permanenemente levar o partido para a direita e o projeto marinista e a base tem rechaçado , porque não aceita esse projeto e temos elaboração suficiente sobre a questão ecologica para sabermos que não existe sustentabilidade com capitalismo;

6o A principal base de sustentação de HH é o MTL da qual faz parte Martiniano, que foi pego em relações com o Carlinho Cachoeira e foi sumariamente afastado da direção do partido em Goias por ter mentido a direção que não tinha nenhum envolvimento com ele;

7o A HH tentou pressionar a direção do partido para não afastar o MArtiniano, o que a direção não o fez e afastou imediatamente.

A questão é Rudá, todo partido tem gente oportunista, tem mesmo , mas antes de ouvir uma voz é necessário ouvir as vozes do partido para poder fazer melhor juizo do que se passa e avaliar quem são os verdadeiros oportunistas de um partido, penso que a HH perdeu a oportunidade de ser grande e não ser mais do mesmo, hoje o partido é grande, com certeza não pelo udenismo da HH, mas pela coerência dos quadros que emergiram e lutas que temos travado.

3 comentários:

Miguel Jorge disse...

Estamos vivendo uma fase muito especial da democracia brasileira, onde está em jogo o processo de democratização da democracia entre nós. Os partidos da velha lógica, e dentro deles existem pessoas bem intencionadas, hoje ou se transformaram em biombos do patrimonialismo clientelista - PT, PC do B, PSB, PV etc - ou partiram para reproduzir estratégias já experimentadas e que em nada serviram para alterar significativamente as peças no tabuleiro do jogo do poder, o caso do PSOL. Hoje, por conta de um movimento crescente de desrepresentatividade desses entes políticos, busca-se na própria prática política forças e reflexões que possam superar este impasse de forças, que penso vão além da política partidária, como bem vem demonstrando o julgamento do mensalão. Portanto, não se pode esperar nada de profundamente construtivo mesmo de quem participa, mesmo que na negatividade do não, daquilo que alimenta a continuidade dessa situação. Meus respeitos, Heloisa Helena

Wander Veroni Maia disse...

Oi Rudá! É interessante observar que mesmo personagens políticos que se posicionavam a favor de um alinhamento político com a esquerda começam a colocar as manguinhas de fora, mostrando um lado obscuro para não dizer outra coisa. O PSOL se tornou um partido grande e, nessa última eleição municipal, mostrou candidatos preparados e com um discurso de oposição embasado, pelo menos aqui em BH. Agora, resta saber se o partido vai continuar assim após a saída de HH. Ou ainda, se HH e Marina vão conseguir formar um partido coerente e descente, mesmo com tantas adversidades. No mais, leio o seu blog sempre. Os debates propostos nos posts são muito legais. Um forte abraço.

lucrecio barato disse...

Esse dirigente conhece pouco o seu partido;Em montes Claros MG candidato Mineirinho ex candidato a senador, fez uma exclusiva contra o PT, teve meio por cento dos votos e ainda saiu como "Laranja" de candidato da direita.