quarta-feira, 9 de maio de 2012

Gaudêncio Torquato entusiasmado com Dilma

No seu Porandubas Políticas, Gaudêncio Torquato avalia que Lula perde possibilidades de retorno à Presidência da República em função da performance de Dilma Rousseff. Justifica:

Plasmando a identidade modus operandi do governo Dilma exibe algumas metas e preocupações : fechar os buracos em toda a malha administrativa ; gerir com parcimônia as demandas políticas ; arrochar os cinturões do governo, particularmente os que circundam os cofres públicos ; avaliar os atrasos nas frentes obreiras ; evitar estouros de contas em algumas frentes ainda sem muito controle ; centralizar processos da gestão. Há críticas a esse modo de governar, particularmente no que toca à excessiva centralização. Diz-se, por exemplo, que a presidente é capaz de passar três horas analisando planilhas, detalhes, curvas crescentes e descendentes. É seu jeito. Por isso mesmo, tem uma visão mais abrangente e plena da administração Federal.

Pode ser. Mas o estilo centralizador reflete na coesão política, interna e externa.
É verdade que é mais leve que o estilo de Graça Foster. Dizem que já chegou a exigir que um funcionário repetisse três vezes que era incompetente. Acendo velas para que seja um boato sem fundamento.
Mas este estilo não cria coesão e numa democracia gera desgaste sem volta. Basta lembrar a performance da Dama de Ferro.

Um comentário:

SENÔ JÚNIOR disse...

Suponho que as pessoas devam saber dos riscos a que estão expostas aqui e ali ao tomarem decisões e ao lidarem com situações. Tenho o filme a Dama de Ferro e o roteiro é o mesmo: do apogeu à decadência, caminho percorrido por muitas incelenças políticas. Nao é possível conceber que uma pessoa ao dar um passo mais arriscado não tenha a percepção de que está colocando a corda no próprio pescoço.Quem gosta de viver perigosamente como a Dama de Ferro, paga pra ver.