segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Triste Tupã

Nasci em Tupã, oeste do Estado de São Paulo. Infelizmente, as notícias sobre minha terra natal são mais para Saramandaia que para Bangalore. Em determinado momento, pensei que fosse algo na composição da água. Hoje, faço esforço para não pensar nos motivos para sermos campeões de fatos como o que reproduzo abaixo:



Um golpe pontual. Às 11 horas em ponto desta segunda-feira (12). Certeiro e de baixo para cima foi disparado contra o queixo do secretário de Governo Adriano Rogério Rigoldi (PSDB). Apesar do reforço de segurança no gabinete, não foi possível segurar a fúria do torpedo. O autor da façanha, ninguém mais que o vereador Antonio Alves de Sousa, “Ribeirão” (PP). Outros socos, chutes e pontapés ainda seriam desferidos, mas a turma do “deixa disso” entrou em cena e interrompeu um possível nocaute.

Depois de ter sido golpeado com um upper seguido de um cruzado, Adriano foi parar nas cordas e as testemunhas, integrantes da tropa de “elite” conseguiram apartar a confusão. Dentro de sua sala, Waldemir Gonçalves Lopes,ouvia o bafafá, pensou até em se esconder, para escapar de uma possível e imaginária invasão do local; mas os ânimos já tinham sido serenados com o soar da campanhia determinando o round seguinte.

Mas o round inicial começou mesmo fora do Paço Municipal. Tudo por conta de comentários. Já na anti-sala do gabinete do prefeito, Adriano deu um passo na direção de Ribeirão e fitou olhar fulminante para o parlamentar, tirando satisfações sobre fatos que ele (Ribeirão) estaria comentando sobre o secretário. Ribeirão confirmou e ratificou dizendo que Adriano Rigoldi não valia nada. Foi neste momento que Adriano tentou fungar no cangote do Ribeirão e no mesmo tempo que se desvencilhou das garras do tucano, acertou-lhe o “bico” com um golpe ala vale tudo.

Depois de toda confusão, ficou a lição. Sem guarda chuva na mão, não restou outra alternativa para Adriano Rigoldi, senão sair em desabalada carreira, apesar de não haver espaço para fuga, dentro do gabinete. A porta de saída de emergência também estava trancada. Há quem diga que houve promessa de revanche, mas por enquanto o cinturão fica com Ribeirão



5 comentários:

Adir disse...

Sou dali do lado, Oscar Bressane.
Abracetas

PSICOLOGO disse...

DA LHE RIBEIRÃO !!!!!!! 1x0

Rudá Ricci disse...

Que raio de psicólogo é esse que apóia violência?

SENÔ JÚNIOR disse...

Esse tipo de conduta nada tem a ver com democracia. As divergências políticas devem ser discutidas no campo da atuação parlamentar e dentro dos parâmetros legais.Amigo Rudá nós participamos de uma época muito difícil e triste da história de nosso País e no entanto não saimos distribuindo socos e pontapés, procurando agir dentro do exíguo espaço que conquistávamos a muito custo. Isso que ocorreu não tem nada a ver com convivência democrática, pelo qual muitos de nossa geração deram até suas vidas.

nadja rocha disse...

Rodá, use a mesma astúcia dos questionamentos com o Pimentel com o ex governador, ex prefeito, ex ministro , ex , ex , ex José Chirico Serra sobre a privataria