quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Andrea Neves em conflito com Marcio Lacerda

Para confirmar a situação de queda de prestígio (ou conflito em alta) da irmã de Aécio Neves, reproduzo, abaixo, matéria publicada pelo Estado de Minas (ver AQUI ) . A matéria, publicada hoje, revela um episódio envolvendo cabeçada de Andrea Neves no prefeito (cotado para ser candidato a governador de MG) Marcio Lacerda (PSB).
Gente experiente não entra em tanto conflito sem causa, por esporte. Há, portanto, fundamento nas análises informais que se reproduzem na capital mineira que dariam conta de um desgaste crescente de Andrea e seu irmão, senador, com governos de Anastasia e Marcio Lacerda.



Atrito entre Lacerda e PSDB atrasa anúncio dos nomes do secretariadoAinda sem acordo sobre as indicações do PSDB, prefeito empurra a complexa e lenta definição do secretariado e do segundo escalão da prefeitura para depois do carnaval

Publicação: 31/01/2013 06:00 Atualização: 31/01/2013 07:10
Em evento no Palácio da Liberdade, Lacerda e Anastasia tentaram amenizar o embate em torno de cargos
 (Breno Pataro/divulgação/PBH)
Em evento no Palácio da Liberdade, Lacerda e Anastasia tentaram amenizar o embate em torno de cargos


O embate entre Marcio Lacerda (PSB) e o PSDB por causa das indicações para o primeiro escalão de seu segundo mandato obrigou o prefeito a adiar o anúncio dos nomes para depois do carnaval. Em encontro com o governador Antonio Augusto Anastasia (PSDB), Lacerda tentou amenizar o atrito com os tucanos. O clima, no entanto, ainda é tenso, mesmo depois de almoço com a participação dos dois e do senador Aécio Neves, na terça-feira. O prefeito já vetou uma indicação do partido, “desestimulou” outra e colocou uma terceira em banho-maria. Todas os pedidos foram feitos por Aécio para cargos na área de obras. Já há quem defenda que o filho do prefeito, Tiago Lacerda, seja exonerado da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo.

O prefeito, que participou ontem, ao lado do governador Anastasia, do lançamento de projeto para terminais de integração metropolitana de ônibus, disse que as negociações são longas. “Precisamos encontrar um equilíbrio político e administrativo para que haja melhor governabilidade no trabalho interno da prefeitura, na relação com a Câmara, com o governo do estado e a sociedade. É uma engenharia política complexa e lenta e só vai ser concluída no primeiro e segundo escalões depois do carnaval”, afirmou, no evento no Palácio da Liberdade.

Anastasia seguiu a mesma linha. “Muitas vezes, os jornais gostam de criar fatos onde eles não existem. A relação pessoal entre o governador do estado e o prefeito, e do senador Aécio com o prefeito, é a melhor possível. Inclusive, almoçamos ontem (terça-feira) num clima totalmente amistoso. Do ponto de vista político, também é natural que, muitas vezes, a imprensa goste de dar uma pitadinha, um tempero, mas neste caso, obviamente, isso é inexistente”, disse.

A verdade, no entanto, é que os tucanos estão nervosos, sobretudo pelas respostas que Lacerda vem dando às indicações feitas pelo partido em conversas cara a cara com os indicados. Em uma, com o deputado estadual João Leite (PSDB), indicado por Aécio para a Secretaria de Obras e Infraestrutura, o prefeito afirmou que o parlamentar não ocuparia o cargo porque ele estava gostando muito de quem responde atualmente pela pasta, José Lauro Nogueira Terror, ex-funcionário de empresa no setor de telefonia que Lacerda tinha antes de entrar para a vida pública.

A outra “indelicadeza” do prefeito, segundo os tucanos, foi com Paulo Bregunci, pai do secretário-geral adjunto da Governadoria do Governo de Minas, Thiago Bregunci, indicado para a Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel). Ao receber Breguci, o prefeito disparou: “O senhor pode assumir, mas devo avisá-lo que vamos passar para a Secretaria de Obras boa parte das atribuições da empresa. E mais: sou exigente, cobro muito, e se não atenderem as minhas expectativas, eu mando embora”.

A terceira indicação de Aécio Neves foi a do diretor de Irrigação da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Reinaldo Alves Costa, para a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap). O nome não foi vetado nem destratado diretamente por Lacerda mas, segundo tucanos, o prefeito não dá qualquer sinal de que chamará Costa. Ao contrário, estaria “queimando” o indicado de Aécio em conversas com interlocutores.

A previsão inicial da própria base de Lacerda na Câmara era de que o secretariado fosse anunciado dias antes do carnaval. Até o momento, é certo apenas que os tucanos serão mantidos na Secretaria de Saúde e na BHTrans. A avaliação do PSDB, porém, é de que o partido merecia mais. “Aécio Neves foi o responsável pela retirada de Délio Malheiros (deputado estadual do PV) e de Eros Biondini (deputado federal do PTB) da disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte. Além disso, muitas empresas só contribuíram para a campanha de Lacerda porque Aécio apoiou o PSB na disputa”, afirma um integrante do grupo de articuladores próximos ao governador Anastasia. Délio virou vice de Lacerda. Já Biondini assumiu a Secretaria de Estado de Esportes e Juventude.

Fatura paga

O prefeito Marcio Lacerda exonerou ontem a responsável na Regional Oeste pela fiscalização de alvarás e documprimento do Código de Posturas do município, Márcia Curvelano de Moura. A demissão está sendo avaliada na Câmara de BH como a primeira fatura paga pelo prefeito ao seu novo líder na Casa, Preto (DEM), que teria imposto a saída de Márcia para aceitar o cargo. O parlamentar tem base eleitoral na região. Com a indicação do vereador, o prefeito tenta aumentar sua base na Câmara. 

Repercussão - Leitores comentam no em.com

“Enquanto isso as nomeações dos últimos concursos estão paradas ou feitas a conta-gotas, para poder dar o lugar de quem tem direito a um bando de oportunistas despreparados para bagunçarem a PBH.”
Soares Soares


“Outra vez somente jogo de interesse! Quem deve ser nomeado para comandar as secretarias das diversas áreas tem que ter primeiramente competência e compromisso com o verdadeiro significado de serviço público.”
Fernando Antonio Ribas


“Mais uma vez fica provado que a suposta meritocracia defendida pelo prefeito não passa de conversa pra boi dormir. Não tenho dúvidas em afirmar que todos esses nomes padecem de efetiva capacidade técnica e gerencial para atender os reais anseios da população de BH. Mas quem se importa? Eles não...”
Fernando Libânio


“O que se espera do servidor público é servir a sociedade nas suas demandas, que não são poucas, todavia, os preclaros politicos mineiros estão preocupados com o loteamento de cargos de forma vergonhosa. Esperamos que oprefeito tome posição coerente, sem politicagem, sem toma lá dá cá.”
Geraldo Nascimento


“É uma vergonha. Trabalhar para o povo que o elegeu, nada. O povo tem que ter vergonha na cara e ir para as praças e acabar com essa pouca vergonha. São candidatos prometendo tudo, depois ficam só brigando por cargo e aumentando seus salários. Filho de um lá, neto do outro cá. E assim vai até a próxima eleição.”
Elias Amorim Santos


“A clareza da incoerência! O PSDB, oposição, desaprova a forma de preenchimento dos cargos federais. Mas em BH age da mesma forma! Já a sociedade desaprova lá e aqui. Carece a todos os políticos, sem distinção, respeito às pessoas. A sociedade ainda não abriu mão do pensar e agir!”
Mário Rafael Soares

2 comentários:

Educação disse...

Prof. Rudá,
o que levaria o governador Anastasia a se afastar do Aécio?

Rudá Ricci disse...

Há muitas hipóteses. Uma delas, é manter aberta a relação com o PSB, que neste momento recebe o "cortejo" do governo federal. Aécio é o pomo de uma possível discórdia.
Outro motivo seria um simples pêndulo: Anastasia e Marcio Lacerda procurando jogar água na fervura para diminuir a ganância da família Neves.
Finalmente, não descartaria a possibilidade dos Neves "vazarem" esta história toda para queimar alguns nomes, como o de João Leite.