sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Artigo da Reuters sobre protestos em Wall Street

Artigo de Mark Egan e Michelle Nichols  intitulado Who´s behind the Wall Street protests? repercute que o financiador das manifestações realizadas em Wall Street seria o investidor George Soros. Segundo o artigo da Reuters:

Soros e os manifestantes negam qualquer ligação. Mas a Reuters descobriu ligações financeiras indiretas entre Soros e Adbusters, um grupo anti-capitalista no Canadá, que começaram os protestos com uma campanha criativa contra Wall Street. 
Jornalistas conservadores, tendo à frente o radialista Rush Limbaugh sugerem tal ligação. 
A especulação tem lastro em outras ações de Soros. O mega investidor teria subsidiado com 3,5 milhões de dólares o Tides Center, grupo de São Francisco que atua como banco de compensação de muitos doadores para causas liberais e que vincula-se à Fundação Ford e Fundação Gates. A Adbusters teria recebido 185 mil dólares deste fundo. 
Pode ser mera especulação. Mas gera uma boa matéria. 




3 comentários:

Angeline disse...

Talvez, mas não creio. Com certeza isso faz parte da política para desacreditar o movimento.
Agora quero saber quem está por trás da mobilização contra a corrupção no Brasil.

Bruno Tche disse...

"Agora quero saber quem está por trás da mobilização contra a corrupção no Brasil"
E isso não faz parte da política para desacreditar o movimento?
Ê dois pesos e duas medidas!

Angeline disse...

Caro Bruno Tchê:

Nem tudo na vida é 'denorex'. Com relação ao primeiro caso, citado pelo blogue, 'afirma-se', pelo menos o jornal americano, que há por trás do movimento interesses de especuladores financeiros. O que desmorona o movimento.Frise-se A CONFERIR!
Já no caso do movimento brasileiro, há também essa desconfiança sendo divulgada. Porém, ainda não claramente. Por isso, tentei que soasse como uma sugestão ao blogue, explicitar ou opinar pelo movimento no Brasil.
É só isso! Não há incoerência e nem 2 pesos 2 medidas. Ou apenas uma medida, não divulgada certamente, ou medida alguma.
A minha opinião é única: "sso faz parte da política para desacreditar o movimento." E nos dois casos, até que me provem o contrário.