quarta-feira, 18 de maio de 2011

Produtividade da pecuária brasileira X ambientalistas


A EMBRAPA acaba de divulgar dados do desenvolvimento da pecuária brasileira entre 1950 e 2006 que é uma verdadeira paulada no discurso ambientalista de ataque à agricultura de tipo empresarial. O ensaio leva o título de "Pecuária Brasileira, Produtividade e Efeito Poupa-Terra". Com base nos dados disponibilizados pelo IBGE sobre o período, percebe-se que 79% do crescimento da produção deste setor foi devido ao aumento de produtividade e apenas 25% devido ao aumento das áreas com pastagens. Entre 1996 e 2006, período de maior ganho de produtividade, houve até mesmo redução de área.

4 comentários:

Angeline disse...

Até que enfim alguns dados concretos. Assisti ao debate na Câmara sobre o Código Florestal e notei muita retórica, muita ideologia e pouco dado palpável sobre a realidade brasileira.

Evelyn Silva disse...

Eis que surge uma pergunta pertinente. Até que ponto essa pesguisa segue um discurso imparcial?

Rudá Ricci disse...

Evelyn,
Os pesquisadores são reconhecidos, assim como a instituição. Não existe dado ou ciência neutra. Mas também temos que ter algum cuidado para não desenvolvermos uma teoria conspiratória. O melhor é estarmos abertos ao debate. A base de dados é do IBGE, o que facilita a sua verificação.

Ricardo Dobrovolski disse...

Mas se vocês olharem na página do INPE, os anos entre 1996 e 2006 tiveram valores altíssimos de desmatamento, da ordem de 20 mil Km2 por ano na amazônia. Além disso, no Cerrado, entre 2002 e 2008, a média de desmatamento anual é de 14 mil km2. É sabido também que a maior parte do desmatamento é destinado à áreas de pastagem. Então, não faz nenhum sentido os resultados desse estudo de EMBRAPA que por sinal, não há link para ele aqui na página.