sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Salário de professor e operador de escavadeira em edital do MT causa polêmica no Facebook



Do UOL, em São Paulo (você já deve ter visto, mas vale a pena insistir....)
  • Reprodução
    Montagem feita com o edital do concurso público da prefeitura de Vila Rica (MT) e publicada no Facebook
    Montagem feita com o edital do concurso público da prefeitura de Vila Rica (MT) e publicada no Facebook
A comparação entre os salários oferecidos em um concurso público da prefeitura de Vila Rica, no Mato Grosso, para professores e operadores de máquinas teve repercussão negativa nas redes sociais. Enquanto a remuneração inicial oferecida para um operador de escavadeira hidráulica, com ensino fundamental incompleto, é de R$ 1.291,98, o salário para um professor com ensino superior é de R$ 1.246,32.

A jornada de trabalho dos professores aprovados no concurso será de 30 horas semanais, já os operadores de máquina trabalharão 40 horas semanais.

Um perfil do Facebook divulgou uma montagem com a imagem do edital e, até o momento da publicação dessa matéria, a foto foi compartilhada por mais de 3 mil pessoas. Um dos usuários da rede social comentou: “É necessário uma mudança e valorização do ensino, assim como ampliar a possibilidade para todos terem acesso à qualificação, tanto profissional como acesso ao ensino publico superior de qualidade”.

Outros internautas se perguntam “se essa situação é possível”, enquanto alguns afirmam que “isso é Brasil”.
O piso salarial nacional dos professores é de R$ 1.187 para 40 horas semanais e vale para todos os docentes que atuem da educação infantil ao ensino médio. A CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) reivindica para esse ano um piso de R$ 1.937,26.
A reportagem do UOL entrou em contato com a prefeitura de Vila Rica e aguarda retorno, pois, segundo a atendente, o responsável só poderá falar no período da tarde.

2 comentários:

Júnior ... Eskelsen D. disse...

Ganham pouco mesmo, esses
operadores de máquinas especiais
tem muita responsabilidade, não só
de operar a própria máquina mas
como a segurança pois qualquer vacilo
resulta em mortes. O professor desvalorizado também não é novidade.

É o povo que entrega fortunas enormes para gente como Gugu e Luciano Huck, eles que não acrescentam em nada economicamente, culturalmente; não produzem nada e nem ao menos incutem entusiasmo e boas idéias neste povo, povo cativo.

Massa disse...

Também não entendi... em qualquer lugar do mundo, um operador de máquina pesada ganha mais que um professor... injusto, talvez, mas Brasil?