domingo, 28 de agosto de 2011

Montadoras no Brasil


Ser quinto do mundo está se tornando número mágico para o Brasil. Veja matéria publicada no Estadão de hoje:
SÃO PAULO - O Brasil é hoje o país que mais atrai as montadoras. Nove fábricas já estão em construção ou em projetos, mesmo número de unidades em obras na China. Esse novo ciclo de investimentos dos fabricantes de veículos vai despejar US$ 5 bilhões no País até 2014. Entre os interessados em desembarcar no País há marcas de carros populares, como os chineses, até luxuosas como os da alemã BMW. As empresas que já definiram projetos vão adicionar capacidade produtiva extra de 820 mil veículos ao ano e, segundo anúncios feitos pelas companhias, cerca de 14 mil empregos diretos. Hoje, a capacidade total é de quase 5 milhões de veículos. O Brasil é o quinto país com maior número de montadoras já instaladas. São 26 fábricas de 19 marcas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Um comentário:

Jana disse...

Mágico e trágico, o Brasil também é o 5º país no ranking mundial em mortes por acidentes de trânsito (OMS).
E por falar em 2014, se nada for feito, até lá serão 150 mil mortes por ano ao custo de 140 bilhões (MS).
Espero que esse ciclo de investimento inclua um acordo que contemple o “Pilar 3 – Veículos mais Seguros” - proposto pelo Plano Global para a “Década Mundial de Ações pela Segurança no Trânsito”2011-2020 (OMS). Destaco algumas ações deste pilar:
Disponibilizar informações ao consumidor sobre o desempenho de segurança dos veículos;
Empregar tecnologias comprovadas de prevenção de acidentes;
Atender as normas de segurança propostas no Fórum Mundial (WP.29);
Veículos equipados com cintos de segurança e pontos de ancoragem cumprindo as normas regulamentares para testes de colisão;
Proporcionar elevados níveis de proteção aos usuários;
Fomentar a pesquisa sobre tecnologias de segurança para redução de riscos para os usuários mais vulneráveis das vias;
Oferecer modernas tecnologias de segurança e altos níveis de proteção aos passageiros.
Espero que tais investimentos sejam bons para todos, inclusive para a “Mobilidade Segura”
Janaina Sant Anna