quinta-feira, 30 de julho de 2009

Notícias de Honduras


Mensagem de Fidel Nieto, de El Salvador:
"La cosa de Honduras se ha complicado, los cuerpos represivos han golpeado la cabeza del movimiento popular hondureño; ahora mismo hace unos minutos nos hemos comunicado con los compas y nos han informado que en una actividad reprimida han sido asesinados dos compas, golpeado intensamente al grado de hospitalizarlo al dirigente Carlos H. Reyes, y hecho prisionero a Juan Barahona, coordinador del Bloque popular de Resistencia y miembro del Frente Nacional de Resistencia en contra del golpe; Juan es de la dirección nacional de la tendencia revolucionaria.
Por favor, denuncien en las instancias que puedan esta situación."

terça-feira, 28 de julho de 2009

Monsanto contra a cartilha do Ministério da Agricultura

A multinacional de sementes transgênicas Monsanto obteve uma liminar de mandado de segurança para impedir a distribuição da cartilha "O Olho do Consumidor" produzida pelo Ministério da Agricultura, com arte do Ziraldo, para divulgar a criação do Selo do SISORG (Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica) que pretendia padronizar, identificar e valorizar produtos orgânicos, orientando o consumidor na sua escolha de alimentos realmente orgânicos.
Algumas ongs estão distribuindo a cartilha por email.

33 mil adolescentes assassinados no Brasil até 2012


Estudo avalia 267 municípios do Brasil com mais de 100 mil habitantes e chega a prognóstico alarmante: estima-se que o número de adolescentes assassinados entre 2006 e 2012 ultrapasse 33 mil. O Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) foi desenvolvido para medir o impacto da violência nesse grupo social, monitorar o fenômeno e avaliar a aplicação de políticas públicas. Segundo a análise, os homicídios representam 46% de todas as causas de mortes dos cidadãos brasileiros nesse faixa etária.
O IHA foi desenvolvido no âmbito do Programa Redução da Violência Letal contra Adolescentes e Jovens, uma iniciativa coordenada pelo Observatório de Favelas e realizada em conjunto com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR) e o Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-Uerj).

Notícias do front econômico (1)


Combinando com a nota abaixo, a Folha de São Paulo de hoje noticia que Brasdesco e Itaú Unibanco emtiram estudo que define a superação da recessão brasileira, em maio. Em maio, o crescimento do PIB brasileiro foi de 2,3%, em relação ao mês anterior. Em abril, houve queda de 0,7%. No primeiro trimestre, o PIB cresceu 1,7%. Mesmo assim, avaliam que haverá queda de 0,5% no PIB anual em virtude da forte queda do início do ano.

Notícias do front econômico (2)


O dólar continua caindo. Segundo o boletim de Francisco Petras e José Márcio Mendonça, em relação ao euro, a barreira dos 1,40 euro / US$ 1,00 foi superada. Segundo a nota produzida pelos dois:
"Interessante notar que esta queda do dólar veio no exato momento em que surgiram novos sinais de que a maior economia mundial está se estabilizando. Na semana passada foram divulgados novos dados sobre o setor imobiliário dos EUA e os números, senão promissores, mostraram sinais evidentes de estabilização. O presidente do Fed, Ben Bernanke, deu declarações de que "apoia a política do dólar forte". O mercado desprezou tais declarações e os investidores continuaram a buscar oportunidades para arbitrar taxas de juros mais baixas (como a dos EUA e a do Reino Unido) e mais altas (Brasil, Indonésia, Filipinas, etc). Resultado : queda generalizada do dólar no mundo no exato momento em que a volatilidade (risco) cai para os níveis anteriores à fase aguda da atual crise (em setembro do ano passado)."

segunda-feira, 27 de julho de 2009

PT de hoje, PT de sempre


O Diretório Nacional do PT definiu o calendário para realização do Processo de Eleições Diretas (PED). As eleições para a escolha das direções zonais, municipais, estaduais e nacional do PT serão realizadas em todo o país no dia 22 de novembro de 2009. Esta notícia só tem relevância em função dos bastidores que a geraram. Duas notas merecem destaque:
1) A aprovação da manutenção do processo eleitoral em novembro significa uma vitória do atual presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP). A corrente Mensagem ao Partido, do ministro Tarso Genro e do secretário-geral do partido, deputado José Eduardo Cardoso (SP), defendia a antecipação para julho de 2009. A mesma posição foi defendida pelo líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS), que queria votações em agosto ou setembro de 2009. Já o secretário de Relações Internacionais do PT, Valter Pomar, da corrente Articulação de Esquerda, defendia o adiamento da eleição para 2011;

2) Na mesma linha, vale destacar a volta de Zé Dirceu ao comando nacional do partido. Ele figura na chapa apresentada pela tendência Construindo um Novo Brasil (CNB, a antiga Articulação). Cinco candidatos concorrem à cadeira que já foi de Dirceu entre 1995 e 2002: além de José Eduardo Dutra (candidato da chapa desta tendência), estão no páreo os deputados José Eduardo Martins Cardozo, Geraldo Magela, Iriny Lopes e o integrante do Diretório Nacional Markus Sokol.

Percebam a força dos detentores de cargos públicos (parlamentares e executivos do governo federal). O único que destoa é Markus Sokol, mas este é um velho militante-dirigente do PT. Zé Dirceu na chapa da CNB é a cereja no bolo. No PT, desde meados dos anos 90, tudo muda para ficar como está. É a expressão mais nítida da lógica d'O Leopardo, formando uma aristocracia partidária das mais sólidas. É quase impossível perceber lógica distinta em qualquer estrutura partidária deste início de século XXI. Os partidos políticos são estruturas pretéritas de representação social. Representam as burocracias internas e não a sociedade. Num mundo volátil e dinâmico como o atual, os partidos criam crises institucionais frequentes, seja no presidencialismo ou no parlamentarismo.

Aécio não atende Jequitinhonha e Mucuri, regiões mais pobres de MG


Do blog de Luis Carlos Gusmão:
" O relatório da audiência de monitoramento do PPAG – Plano Plurianual de Ação Governamental, apresentado pelas comissões de Participação Popular e de Fiscalização Financeira e Orçamentária na quinta, 16/7, revelou que a execução financeira de 361 ações, pelo governo Aécio, foi zero em 51,2% delas. As ações integram os programas estruturadores do PPAG em 11 áreas de resultados e a inexistência de investimento foi justamente nos programas sociais e de desenvolvimento regional. Os exemplos mais afetados são as áreas de resultados Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha/Mucuri e Rio Doce, em que 70,6% das ações não tiveram nenhuma execução financeira; Rede de Cidades e Serviços e Redução da Pobreza e Inclusão Produtiva, em que não existe execução em 61,7% e em 65,8% das ações de seus programas, respectivamente."

O movimento mineiro Da Educação que Temos à Educação que Queremos já havia denunciado o descaso com estas áreas mais pobres. O governo Aécio peca na área social, desenvolvendo projetos de baixa cobertura e em regiões mais populosas e com maior visibilidade pública.

Aécio e Serra aumentam gastos na área social


Apesar do artigo de Nassif (ver nota abaixo), reportagem de Breno Costa (Folha de São Paulo) indica que Aécio e Serra aumentaram os gastos da área social. Segundo a reportagem, há quase sete anos no poder, Aécio autorizou R$ 406,6 milhões para este ano, investimento quase sete vezes superior aos R$ 58,9 milhões (valor atualizado pela inflação) gastos em 2003. Diferença de 590%.
Em SP, informa a Folha, o orçamento de Serra, governador desde 2007, prevê investimentos 26,8% acima do registrado em seu primeiro ano. Mas, em relação a 2003, quando o tucano Geraldo Alckmin assumiu, o orçamento atual (R$ 1,53 bilhão) é quase o triplo do gasto naquele ano.

O último suspiro de Serra


Reproduzo artigo recente de Luis Nassif (O último suspiro de Serra) onde o argumento central é que a candidatura do governador paulista à Presidência da República naufragou. Vou destacar algumas passagens:

"1. O estilo autoritário-centralizador e a falta de punch para a gestão. O Serra do Ministério da Saúde cedeu lugar a um político vazio, obcecado com a política rasteira. (...)
2. Fechou-se a qualquer demanda da sociedade, de empresários, trabalhadores ou movimentos sociais.
3. Trocou programas e ideias pelo modo tradicional de fazer política: grandes gastos publicitários, obras viárias, intervenções suspeitíssimas no zoneamento municipal (comandado por Andrea Matarazzo), personalismo absurdo, a ponto de esconder o trabalho individual de cada secretário, uso de verbas da educação para agradar jornais. (...)
Acontece que Serra tem três trunfos que estão amarrando o PSDB ao abraço de afogado com ele. O primeiro, caixa fornida para bancar campanhas de aliados. O segundo, o controle da Executiva do partido. O terceiro, o apoio (até agora irrestrito) da mídia, que sonha com o salvador que, eleito, barrará a entrada de novos competidores no mercado. Se desiste da candidatura, todos os que passaram a orbitar em torno dele terão trabalho redobrado para se recolocarem ante outro candidato. Os que deram apoio de primeira hora sempre terão a preferência. (...)"

Achei a argumentação de Nassif muito frágil. Mas é uma tese instigante.

domingo, 26 de julho de 2009

Ainda sobre as ideologias militares dos EUA e Brasil

Retornando ao assunto que iniciei algumas notas abaixo, tentarei relativizar as duas ideologias militares (Brasil e EUA) que citei nas duas notas.
A ideologia dos EUA: se West Point é liberal, é fato que esta não é a única ideologia militar norte-americana, nem a hegemônica. É sabido que Hamilton (e Schama cita este fato) tinha uma ideologia bem mais intervencionista. Schama sugere um "sentimento conflituoso" sobre a guerra em seu país. Não fosse isto, como explicar o macartismo, a ofensiva sobre os Panteras Negras, a perseguição à John Lennon? Lembremos, ainda, que no século XIX havia um forte movimento anarquista e socialista nos EUA. Foi a ofensiva militar que desorganizou este movimento.
A ideologia do Brasil: é preciso relativizar, da mesma maneira, a ideologia da segurança nacional dos militares brasileiros. É fato que é uma ideologia que criou tentáculos. Mas também é fato que tivemos o tenentismo, positivismo que chegou a pregar a reforma agrária como instrumento de desenvolvimento.

Lei instituirá a PNATER

A FASER informa que será assinado, com o lançamento da Safra 2009/2010, o Anti projeto de Lei que Institui a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural - PNATER, cria o Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária - PRONATER.

sábado, 25 de julho de 2009

Ideologia militar tupiniquim


Lílian Paraguai, diretora do SindUTE-MG solicita que eu faça um contraponto com a nota que postei sobre a ideologia de West Point, analisando a ideologia militar brasileira. Vou postar um primeiro comentário:
1) É sabido que nos anos 50 a Escola Superior de Guerra (ESG) assumiu a Ideologa da Segurança Nacional;
2) Uma das expressões desta ideologia foi a permanente demanda por equipamentos de guerra, objetivando a consoliação do Brasil como potência continental;
3) Outra característica desta ideologia é a defesa do território nacional (e suas riquezas) e a integração deste espaço;
4) Ora, a recente defesa militar da Amazônia, pelo Exército, vai nesta direção, disseminando a teoria das riquezas ameaçadas por interesses estrangeiros. A porção da esquerda tupiniquim que se apóia nas teorias conspiratórias adoram este discurso (apenas um pequeno chute na canela...);
5) Alguns autores afirmam que a trincheira do momento (na defesa da soberania nacional à la ideologia da segurança nacional) é a crise (ou alternativa) energética. O Brasil estaria despontando no cenário internacional pelas reservas recém-descobertas do pré-sal e das reservas de Urânio. E, ainda, temos tecnologia de ponta, solo e climas perfeitos para nos tornarmos os maiores produtores de biocombustíveis (posição assumida por Armando Vidigal, do Centro de Estudos de Política e Estratégia da Escola de Guerra Naval que, destaca, ainda, o papel do Brasil na crise da água, da produção de alimentos e do meio ambiente).

Acredito que esta primeira nota organiza um pouco esta reflexão. Mais adiante, procurarei aprofundar.

Patrimonialismo e/ou Lógica de Estado

Zander Navarro faz uma de suas instigantes provocações sobre minha nota sobre a persistência do patrimonialismo tupiniquim. Questiona se ainda é um conceito válido para explicar a realidade atual. Minhas observações sobre este dilema são as seguintes:
O termo patrimonialismo foi concebido por Weber, para se referir a formas de dominação política em que não existem divisões nítidas entre as esferas de atividade pública e privada. Tem relação com o que Victor Nunes Leal denominou de coronelismo. Mas, de fato, o coronelismo era uma expressão (segundo Leal) do ocaso das oligarquias rurais, que procuravam se inserir na nova ordem comandada pelas instituições de representação pública, via parlamentares que eles escolhiam e cuja eleição era garantida por seu curral eleitoral. Acontece que não temos necessariamente um "Estado desestatizado", ocupado pelas oligarquias.
Os fenômenos Sarney, Collor, Calheiros não são muito diferentes da lógica do que o lulismo empregou para obter maioria ou isolar os partidos de oposição. E o lulismo pode significar uma elite, mas não uma oligarquia.
Neste caso, o conceito de patrimonialismo reduziria o femômeno. Poderia ser um "habitus", no máximo, mas nada além de uma memória histórica. Temos um Estado muito estruturado. Para Max Weber, patrimonialismo era um tipo de dominação tradicional, se apropriando da burocracia pública pela via pessoal, direta, de mando. Novamente, uma espécie de memória (Lehensfeudalitat), marginal de patrimonialismo, que tende para relações estereotipadas (estou me apropriando de algumas observações de Simon Schwartzman). A memória, no caso, seria a formação de um staff, das lideranças constituídas no interior do sistema de representação (Sarney é ou não é um homem do parlamento, símbolo do sistema de representação oficial do país?), constituído por familiares e pessoas de confiança, formando um estrato social. Mas esta seria uma expressão da organização interna da lógica do parlamento tupiniquim, mas não a essência. A essência é algo mais complexo, relações de troca DO sistema e não uma sabotagem. Explico: o patrimonialismo brasileiro era um desvio no interior do sistema partidário brasileiro. Mas agora é uma mera expressão. É evidente que o Estado e as intituições públicas nacionais são superiores à lógica de eventuais oligarquias políticas regionais. Antes, se alimenta delas e não o contrário.

Como é difícil limpar o passado do Brasil


O que mais é estranho no affair Sarney é a revelação escancarada do entulho persistente das tradições patrimonialistas de nosso país. Macunaíma não salva ninguém, afinal. É esta gordura persistente, que não sai com Ajax ou seja lá que produto utilizarmos que parece fazer e desfazer nossa democracia e até mesmo nossas ditaduras. Em outras palavras, sociologicamene delirando: o patrimonialismo tupiniquim é nosso sistema, regime e cotidiano políticos. Saravá!

West Point e Democracia


No livro O Futuro da América (de Simon Schama, já citado neste blog), Schama, um historidor "liberal" (algo próximo de progressista, no jargão norte-americano) destaca a cultura de West Point, onde são formados os militares dos EUA. Seguem a tradição plantada por Jefferson cujo dever maior seria o respeito à Constituição. Em termos práticos, os militares são formados para nunca utilizarem sua força para sobrepujar o poder civil. Meio difícil de absorver, eu sei, mas nas palavras de Schama:
"Seus oficiais granduandos faziam um juramento de lealdade a ela que, diferentemnente de outros lugares, não se dirigia à pessoa de um príncipe soberano. A obrigação constitucional de subordinar os militares aos guardiões civis a democracia estava inculcada em cada um dos cadetes, e ainda está. É por isto que pode haver rebeliões de gemadas em West Point, mas nunca uma conspiração de golpes militares. Em outra partes do mundo - na Europa, Ásia e América Latina - a solidariedade da escola militar tem levado oficiais a crer na sua superioridade coletiva sobre políticos civis. Mas não nos Estados Unidos"

terça-feira, 21 de julho de 2009

8o Congresso Sindute


Começou hoje no Ginásio Poliesportivo Dr. Arthur de Mendonça Chaves, em Poços de Caldas/MG, o 8° Congresso do Sind-UTE e 20º dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação de Minas Gerais, cujo tema central é “ Educação Pública de Qualidade Social: respeito à vida e à dignidade de educandos(as) e educadores(as)”.
O evento que terá a presença de representantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), da Central Única dos Trabalhadores (CUT), deputados, especialistas em educação, dos ministros chefe da Casa Civil, Luiz Soares Dulci, e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, conta com quase 1900 profissionais da educação que participam como delegados/as eleitos/as em seus locais de trabalho. O Sind-UTE/MG comemora seus 30 anos.

Congresso da UNE, pelo PCB

Recebo mensagem do PCB em que inclui artigo de Ivan Pinheiro comentand o congresso da UNE que ocorreu na semana passada. Reproduzo algumas passagens do artigo:

"Logo na abertura, acompanhado de sua candidata à sucessão, o Presidente da República - que havia mandado o Estado pagar a conta do evento - deu o tom e a linha política, defendendo um programa de seu governo (PROUNI) que deveria ser objeto de um grande debate num congresso de estudantes, já que repassa verbas públicas para o ensino privado, os “tubarões do ensino”, no antigo jargão da UNE. Mas como criticar o programa, se o Ministério da Educação entrou com 600 mil reais, na “vaquinha” estatal para organizar o congresso, cuja prestação de contas, como a das famosas carteirinhas, ninguém verá. A UNE, que já foi uma escola de política, se transformou numa escola de *políticos*, no pior sentido da palavra."

O artigo finaliza conclamando à construção do MOVIMENTO PELA RECONSTRUÇÃO DA UNE que, " a partir das escolas e dos Centros Acadêmicos, tome nas mãos as rédeas do movimento estudantil e saia às ruas de todas as cidades brasileiras, voltando a gritar bem alto o mais histórico refrão da entidade: A UNE SOMOS NÓS, NOSSA FORÇA, NOSSA VOZ!"

O artigo ilustra o título deste blog.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Lula: Brasil será 5a economia em dez anos


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta segunda-feira o que classificou de "a mania de ser vira-lata" dos brasileiros e disse que o País deverá ser a quinta economia do mundo em um prazo de dez anos. Ao reunir o Conselho Diretor do Banco do Brasil (BB), o presidente disse que as instituições financeiras estatais precisam crescer e disse que o BB, particularmente, deveria atingir mais fortemente economias como a América Latina e a África.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Provérbio Africano

Ensino Médio Inovador


A partir de 2010, 100 escolas públicas estaduais irão receber financiamento do Ministério da Educação para apoiar experiências curriculares inovadoras no ensino médio. O projeto, intitulado de Ensino Médio Inovador, prevê mudanças que privilegiam um currículo interdisciplinar e flexível, tornando o ensino mais atraente para os alunos. A proposta do Ministério da Educação foi aprovada pela Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (CNE), por unanimidade, dia 30 de junho.
As principais mudanças são a ampliação da carga horária mínima do Ensino Médio de 2,4 mil horas anuais para 3 mil horas; a criação de um currículo flexível, situação em que o aluno poderá escolher até 20% da grade curricular; e a reorganização da atual estrutura curricular em quatro eixos: trabalho, ciência, tecnologia e cultura. A divisão em eixos irá permitir que os alunos possam ligar os conteúdos escolares ao seu cotidiano.
A leitura também será estimulada, assim como a participação social dos alunos. Devem ser desenvolvidas ainda atividades culturais, esportivas e de preparação para o mundo do trabalho.

Cordel sobre o Senado

O SENADO (Parte 1)

Na nossa democracia
Eu tenho me perguntado
Porque me bate um desejo
De estar bem informado
Curiosidade se junta,
Questionei a pergunta:
-Para que serve o Senado?

Eu sempre sou curioso
Faço isso onde for
Porque na democracia
Não há credo e, não há cor
Encontrei um brasileiro
Que me respondeu primeiro:
-É pra engordar senador.

Acho que ele está certo
Quando disse engordar
Pois lá tem oitenta e um
Que brincam de trabalhar
Passa o dia e nada faz
Pois de tudo é capaz
-Até ao povo enganar.

No senado existem coisas,
Não vamos deixar pra lá,
Se o Brasil é coisa séria
Seriedade é prá já
Tem um tal de Zé Sarney
Do Maranhão eu bem sei:
-Ele sabe onde é o Amapá?

Isso em boas palavras,
É uma grande covardia
Se senado é senado,
Coisa assim não merecia,
Sarney é do Maranhão
Mas engana a nação
Burlando a democracia.

Ele hoje é do senado
Um tal de seu presidente
É um rolo compressor
Que passa por sobre a gente
Se é idôneo o senador
Se do povo defensor
Isto é um ato decente?

No Amapá descobriram
O endereço que deu
Pra enganar a justiça
E todos doutores seu
Uma casinha em pedaço
E fez dum povo palhaço
E esse azar é todo meu?

Amigos amapaenses,
Coloquem os pés no chão
Quando Sarney retornar
Numa próxima eleição
Vocês devem ser bem fortes
Devolva eles pras sortes
Do estado do Maranhão.

Saiba que do Amapá
Nada ele defendeu
Vocês que na inocência
Ao cabrito o milho deu,
E pra tudo satisfeito
Digam batendo no peito:
-Sarney pra nós já morreu!

Olha só que no senado
Ta a maior confusão
Ninguém entende mais nada
E Sarney não manda não
Ele se faz de discreto
E os tais atos secretos
Sabia de antemão.

“É melhor ele sair!”
Disseram os senadores
“Achamos melhor que ele fique,”
Falaram seus defensores
Nesta tal atrapalhada,
Foi uma bagunça danada
Qual um circo de horrores.

E com toda essa bagunça
Ninguem haverá de entender
Para que serve o senado?
É melhor isso esquecer.
É uma verdadeira b....
Isso que o José Costa
Acabou de escrever.

A seguir, cenas do próximo capítulo


"Quem leu o que escrevi
Se não for do seu agrado
Saiba que o bom cordel
Ele é fino e requintado,
Num momento de besteira
-Pra curar uma caganeira,
É estudar sobre o senado.

Nós sempre nos perguntamos
Como simples eleitores
Para que serve o senado
E todos seus impostores?
-Eu encontrei afinal
A cura para esse mal:
-Não votem em senadores!

Enquete do mês

A enquete do blog era sobre o resultado da "crise do Sarney": 55% dos internautas que votaram afirmam que tudo acabará em pizza. Outros 33% acham que Sarney será obrigado a se afastar.

Aécio e Ciro, Yeda.... café requentado


A campanha eleitoral de 2010 está em baixa neste mês de julho. Só isto pode explicar o café requentado da aliança Ciro e Aécio. Não se trata de novidade e não deve turbinar a candidatura do governador mineiro. A candidatura de Márcio Lacerda à prefeitura de Belo Horizonte era apoiada nesta aliança (Márcio Lacerda foi assessor de Ciro Gomes, quando ministro). Aécio garimpa apoios sem grande prestígio (Ciro, Itamar), revelando suas dificuldades já sabidas. O fato é a decisão de Serra e não os movimentos de Aécio.
Quanto à Yeda "Cruzes", parece cena de filme antigo, quando um personagem era tragado pela areia movediça. Por algum motivo, areia movediça saiu de cena. Mas Yeda reedita. Deve ser problema de geração.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

LDO 2010: análise de Chico Alencar


Reproduzo análise enviada pelo deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) sobre a LDO 2010 - Projeto de Lei 07/2009-CN:

"Em seu parecer, o Relator Deputado Wellington Roberto (PR/PB) manteve os pressupostos básicos da proposta do Executivo, de superávit primário de 3,3% do PIB em 2010 (...) A única concessão do relator em relação ao superávit primário foi permitir que as obras do PAC, no montante de até R$ 22,5 bilhões, não sejam contabilizadas como gasto, para fins de cálculo do superávit primário (...)
O relator introduziu no artigo 11, VII a previsão de que "a Mensagem que encaminhar o Projeto de Lei Orçamentária de 2010 conterá medidas adotadas para o controle das despesas correntes primárias, classificadas como obrigatórias ou discricionárias, destacando-se, dentre elas, as com diárias, passagens, locomoção e publicidade." Desta forma, abre-se a possibilidade de que sejam tomadas medidas para se limitar quase todos os tipos de gasto social, mesmo aqueles obrigatórios (previdência, assistência social, gastos com servidores), já que estes estão incluídos dentro das "receitas correntes primárias".
Além do mais, o relator introduziu grave prejuízo à saúde pública (art. 51, §1º, I), ao permitir a inclusão, no cálculo da aplicação mínima em ações e serviços públicos de saúde (em cumprimento à Emenda Constitucional nº 29), das dotações aos hospitais universitários, até o montante de R$ 480 milhões. Portanto, na prática, o governo poderá reduzir o gasto em saúde em 2010 até este nível (...)"

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Funcionários de escola são reconhecidos como profissionais da educação


O Senado aprovou, nesta quarta-feira (15), o Projeto de Lei (PLS 507/2003) que reconhece os funcionários de escolas como profissionais da educação, mediante habilitação específica. O PLS é de autoria da se nadora Fátima Cleide (PT – RO), ex-dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Rondonia (Sintero) e da CNTE. A proposta altera um dos artigos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (n°9.394/96), discriminando as categorias de trabalhadores que se devem considerar profissionais da educação.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Vida de professor não é fácil

O ajuste do quadro de professores na Faculdade Estácio de Sá, Fundação Helena Antipoff e no Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH) já levou à demissão de quase 300 docentes nas três instituições. Somente na Estácio de Sá, 70 foram afastados segunda-feira, número que pode chegar a 140 no início do semestre letivo, segundo estimativas do Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro Minas). Segundo professores demitidos da Estácio de Sá, que não quiseram ser identificados, a proposta era de redução de um terço do salário para manutenção do emprego. No Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH), 125 professores aderiram ao Programa de Demissões Voluntárias (PDV) e serão desligados no início do semestre letivo. O número representa cerca de 15% do quadro de docentes, que, hoje, totaliza 760 pessoas. Os desligados terão direito a R$ 12 mil em créditos na instituição com carência de 24 meses e 10% da remuneração recebida para cada ano trabalhado, respeitando o teto de dois salários. Na Fundação Helena Antipoff, em Ibirité, Região Central do estado, todos os 97 professores de ensino superior foram dispensados após mudança da instituição gestora dos recursos financeiros da faculdade.

domingo, 12 de julho de 2009

Email é coisa de empresa?


Pesquisa do Instituto PEW, dos EUA (ver site do Instituto aqui) revela que internautas de 12 a 17 anos abandonam aos borbotões o uso de email, aderindo ao MSN, Orkut (e outras redes sociais) e telefones celulares como meios mais comuns de comunicação. É a famosa revolução da revolução tecnológica, acelerando as mudanças numa velocidade que só as comunidades de uso percebem.
O email, pelo visto, vai se limitando às corporações e instituições.

Viçosa inova: 80 anos de diálogo do agronegócio com o campo? Diálogo?

Algumas notícias de Honduras

Na última sexta-feira ocorreu um grande protesto que teve início às 10:00 na rodovia que sai da captial Tegucigalpa e parte para o norte do país, na altura do posto policial dle Durazno (5 km da capital). O movimento de resistência ao golpe articula várias outras manifestações. Uma delas está agendada na sede do sindicato de trabalhadores de bebidas (STIBYS), saindo em passeata rumo ao aeroporto Internacional de Toncontin em homenagem a Isis Obed Murillo, assassinado no último 5 de julho, quando uma multidão aguardava o pouso do avião que traria o presidente deposto.
Hoje, domingo, as ações de protesto e resistência estarão concentradas no parque central de Tegucigalpa.

sábado, 11 de julho de 2009

Como se desce ladeira em MG

video

A queda de Lina Vieira


Lamento a queda da secretária da Receita Federal, Lina Vieira. Ela já vinha sofrendo forte oposição. Alguns membros do governo federal criticavam sua gestão em função da queda de arrecadação. Com a multa à Petrobrás, a gota d'água que faltava entornou o pote de Guido Mantega. O Ministro da Fazenda, aliás, vem acumulando vitórias contra alvos políticos que poderiam fazer alguma sombra. Além de Lina, Palocci sofreu na pele a, digamos, ação defensiva do ministro.
Seus colegas da Receita Federal estavam empolgados com sua nomeação. A receita, aliás, está sendo gerida por um novo perfil de superintendentes estaduais. A ESAF também se alinhou à uma política socialmente mais definida. Estava sendo um avanço, do ponto de vista das organizações da sociedade civil.

O Futuro da América


Comprei o livro O Futuro da América, de Simon Schama, historiador da Universidade Columbia. Schama faz um imenso sucesso. Suas frases de efeito são conhecidas. No FLIP foi um dos grandes nomes. É "obamista". E sabe escrever, como se percebe nas duas passagens que reproduzo a seguir:

"Muitas das pessoas com quem conversei nunca haviam ido a uma convenção, muitas eram independentes (...) Na década de 1830, o hábito de escolhas e votações locais já não se restringia às cidades desafiadoras, mas se estendia até o mundo das fronteiras. Mesmo antes de se tornar um estado, em meados do século XIX, Iowa já tinha esse tipo de encontro em que se misturavam mercados e palanques. Vinha para a cidade, em suas charretes e carroças, agricultores e ferreiros autodidatas, ambiciosos advogados de vilarejos, que examinavam os políticos e suas propostas tão judiciosamente quanto os cavalos e porcos (...)"

"Pessoas que tinham apoiado competidores menos expressivos, já considerados inviáveis, estavam livres para se redistribuir junto com os indecisos no meio da sala. Havia não mais do que talvez uma dúzia deles tentando ouvir as propostas rivais. Mas uma quantidade de apelos cruzava a sala - e, olhando-se para a folia que se desenrolava no canto de Obama, tinha-se a tentação de desertar para aquela que era, em todos os sentidos, a festa mais divertida."

As duas passagens, como se percebe, relatam a analisam levemente o processo eleitoral que levou Obama à Presidência. Na segunda passagem, relata a formação de grupos de apoiadores de cada candidato, no peculiar processo de eleição dos EUA. Relata como indecisos vão se postando, aos poucos, ao lado do grupo de apoio de Obama.
O estilo narrativo é muito atrativo, lembrando Capote. Walter Benjamin já havia destacado este estilo como o mais adequado à historiografia.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Foto que ilustra nota abaixo sobre escolas mineiras

Sinal de alerta na rede estadual mineira


Uma matéria elaborada pela jornalista Daniela Arbex, publicada no jornal Tribuna de Minas (Juiz de Fora) revela, mais uma vez, o descalabro a que chegou a educação do Estado de Minas Gerais. Dados que envergonham qualquer mineiro de boa fé, mas que o governo estadual teima em não ouvir, não ver, não saber.
Reproduzo, a seguir, algumas passagens desta matéria:

"Um utensílio doméstico usado para a lavagem de roupas e limpeza passou a fazer parte da rotina dos alunos da Escola Estadual Dr. Clemente Mariani, no Bairro Carlos Chagas, na Zona Norte. Para conter a água que jorra do telhado precário, quando chove, infiltrando paredes e apodrecendo pisos, bacias de alumínio e baldes plásticos ficam espalhados sobre o chão, na tentativa de garantir que, mesmo com as salas molhadas, as aulas não sejam suspensas. Mais de um ano depois de revelar as condições de funcionamento dos colégios estaduais em Juiz de Fora, a Tribuna voltou à cena educacional e encontrou as mesmas situações degradantes de antes. Levantamento realizado pelo jornal junto à Defesa Civil aponta que, das 49 escolas estaduais de Juiz de Fora, 26 têm boletins de ocorrência de monitoramento registrados pelo órgão, o equivalente a 53%. Nos relatórios de vistoria constam determinações de troca de telhados inteiros, infiltrações generalizadas, “gerando riscos à segurança dos alunos e profissionais”, alagamento de sala dos professores e até a necessidade de interdição de salas de aula, em função da insalubridade provocada pelo mofo (ver documentos). Os casos são graves e vêm sendo identificados desde 1997. Ainda que muitos já tenham sido solucionados, há situações que se arrastam e resultam na “falta de condições mínimas de uso por parte dos alunos”.
Embora a chuva não seja, neste período, uma ameaça às escolas, os problemas de infraestrutura mantiveram salas fechadas fora do período das águas, conforme relatório de vistoria número 1-4/2009, referente à Escola Estadual Coronel Alves Teixeira, no Progresso, Zona Leste, assinado em 1º de abril pelo chefe do Departamento de Prevenção e Atividades Intersetoriais da Subsecretaria de Defesa Civil, Jordan Henrique de Souza. Na ocasião, os técnicos constataram que os problemas encontrados em vistoria anterior, realizada em 26 de janeiro de 2009, permaneciam inalterados até aquela data, quase três meses depois da primeira inspeção. Atualmente, a instituição teve a reforma emergencial aprovada, que atenderá às obras do telhado, mas o projeto para ampliação e melhoria da unidade ainda está em desenvolvimento.
Na prática, a precariedade dos prédios escolares compromete o ambiente de aprendizagem e, pior, o interesse dos estudantes. “É horrível estudar em salas mofadas. As goteiras chegam a molhar nosso caderno e obrigam a gente a sentar um junto do outro”, revela uma estudante da rede. A insatisfação dos alunos com as condições das escolas é, inclusive, citada na Revista Radiografia da Educação Mineira, publicada, em fevereiro, pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE). Em questionário aplicado junto a 117 estudantes da região Norte, Sul e Centro-Oeste de Minas, 90% responderam que não estão satisfeitos com o lugar que estudam. Vinte e um por cento atribuíram nota zero em relação aos atrativos da escola e 72% indicaram pontuação inferior a cinco. "

quinta-feira, 9 de julho de 2009

TRE decide por novas eleições em Ipatinga


Vários municípios mineiros tiveram novas eleições este ano. Mas foram quase todos municípios pequenos. Agora, o TRE envolveu uma cidade pólo: Ipatinga. Por seis votos a zero, o TRE confirmou,ontem, a cassação do prefeito de Ipatinga, Sebastião Quintão (PMDB), e de seu vice, Altair Vilar (PSB), por abuso de poder político e econômico nas últimas eleições. Os magistrados também decidiram, por unanimidade, pela realização de novas eleições em Ipatinga, em uma data ainda a ser marcada pelo TRE. O presidente da Câmara Municipal, Robson Gomes, deverá continuar à frente do Executivo local até a posse dos novos eleitos.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Cartunista hondurenho sequestrado


Acabo de receber a seguinte mensagem:

" MI NOMBRE ES VERENICE BENGTSSON, SOY UNA CIUDADANA de NACIONALIDAD COSTARRICENSE Y HONDURENA, RESIDENTE EN SUECIA. ME DIRIJO A USTEDES A FIN DE DE DENUNCIAR Y HACER DE CONOCIMIENTO PUBLICO que el día de hoy por vía CHAT, a las 11 am hora de Suecia y 3 am hora de Honduras, he sido informada por el conocido caricaturista ALLAN MC DONALD QUE FUE SECUESTRADO Y DETENIDO POR LAS FUERZAS ARMADAS DE HONDURAS, JUNTO A SU HIJA ABRIL DE 17 MESES.
Allan Mc Donald es un caricaturista que había mostrado a través de sus caricaturas en Diario el Heraldo de Honduras, Times y www.rebelion.org su posición a favor de la consulta de opinión popular promovida por el gobierno de Manuel Zelaya Rosales."

Para saber mais de Allan Mc Donald, clique aqui

terça-feira, 7 de julho de 2009

Artigo sobre Honduras vindo da Guatemala: uma visão mais pessimista

Las barbas de nuestro vecino
Andrés Cabanas

El Golpe de Estado en Honduras de domingo 28 de junio obliga a una relectura de la situación en Guatemala y en Latinoamérica. (...) En primer lugar, la lectura tiene que valorar la probabilidad y proximidad de una ruptura coincidente en Guatemala, donde confluyen factores similares a los que provocaron la actual situación en Honduras: disputa entre sectores de la oligarquía por el control de negocios, incluidos los derivados del narcotráfico y la economía criminal; disputa por el control de instituciones estatales y gubernamentales, claves para la obtención de riqueza (aduanas, migración, sistema de justicia); existencia de un estado debilitado y subordinado a intereses particulares; predominio histórico de las corporaciones en el esquema de poder, ahora refuncionalizadas y reconfiguradas en el marco de un nuevo eje de acumulación económica (energía, agua, agrocombustibles, minería…); dependencia económica y política de actores internacionales; existencia de Ejércitos fuertes, concebidos como actores con capacidad de decisión política, en alianza con sectores económicos; existencia de pactos entre sectores oligárquicos y de gobierno con sectores del movimiento social, pactos que excluyen transformaciones estructurales; movimientos sociales fragmentados, sin agenda hegemónica.
La cercanía es mayor si se consideran las inversiones compartidas entre empresarios hondureños y guatemaltecos, y por tanto la similitud de visión y pensamiento (por ejemplo, las inversiones en el sector hidroeléctrico y energético del Grupo Terra o del grupo CECSA). (...)
Una segunda línea de análisis permite ver el golpe a partir del renacido poder de los Ejércitos en la región, tras el bajo perfil mantenido en los años posteriores al fin de los conflictos armados. El domingo 28, el Ejército hondureño fue juez, parte, facilitador y operador en la definición de un conflicto político. Causa y consecuencia: el poder del Ejército definió el golpe como solución. El golpe –de no revertirse- perpetuará el carácter deliberante, no sujeto al poder político y elitista de las fuerzas armadas centroamericanas (a excepción de la nicaragüense).
En tercer lugar, el golpe implica un retroceso en términos de convivencia democrática, ya que grupos civiles, partidos, empresarios y medios de comunicación avalan y abogan directamente por medidas de fuerza. Se retuercen los principios democráticos hasta reducirlos a la marginalidad o lo irrisorio: es lo que sucede cuando se discute si lo sucedido fue o no un golpe de estado o cuando se recurre al Ejército como garantía de la democracia. Supone un retorno sin rubor a prácticas autoritarias y puede implicar un nuevo ciclo de restricción de libertades.
En cuarto lugar, el golpe anticipa y prevé las reacciones populares ante la crisis económica y el nuevo ciclo del capital: la expansión de las transnacionales, el acaparamiento de los bienes naturales de las comunidades (el segundo ciclo neoliberal definido por Raúl Zibechi) van acompañadas de mayor violencia y autoritarismo político: el modelo económico excluyente necesita del uso de la fuerza para consolidarse y reproducirse. El golpe debe leerse, así, como una respuesta conservadora y autoritaria a la crisis del capitalismo y como una apuesta continuada por el expolio, la enajenación y la exclusión de personas y comunidades.
En quinto lugar, el golpe se define como estrategia de contención, ante la amenaza de un buen ejemplo, mencionada por Noam Chomsky. En este punto el buen ejemplo no se refiere a la situación hondureña, donde los coqueteos del gobierno y del Presidente con la izquierda no son todavía más que eso, coqueteos sin suficiente sustento organizativo y programático, sino hacia lo que puede ser. El mensaje es claro para El Salvador, país que comparte 341 kilómetros de frontera con Honduras y una tormentosa historia de desencuentros. El llamado alerta sobre posibles intentos de transformaciones estructurales en el modelo político y económico, y sobre posicionamientos geoestratégicos del nuevo gobierno: la Alternativa Bolivariana de las Américas, ALBA, y la relación con los gobiernos de izquierda en el continente. En un contexto de una organización social y partidaria fuerte, que acumula experiencia histórica de defensa armada, el mensaje no parece condicionar un golpe similar al hondureño, pero sí generar divisiones entre sectores del gobierno salvadoreño y el Frente Farabundo Martí para la Liberación Nacional, FMLN.
Una sexta mirada se detiene en el impacto del golpe en la dinámica posconflicto en Guatemala y el desarrollo de los Acuerdos de Paz. Después de la firma de los Acuerdos, mantuvimos (al menos teórica y formalmente) tres grandes principios: el de la seguridad democrática y el carácter no deliberante del Ejército (abocado a tareas de seguridad externa); el de la necesidad de un Estado fortalecido para la búsqueda de un desarrollo incluyente; y el de la democracia y la búsqueda de consensos sociales (los propios Acuerdos como consenso básico) como paradigma de convivencia. El golpe en Honduras destruye simbólicamente y en la práctica las visiones anteriores y favorece todo tipo de tentaciones autoritarias y/o de reducción de la democracia a un ejercicio de elites, como las propuestas contenidas en el planteamiento de reforma constitucional del grupo Proreforma.
Por fin, es importante analizar consecuencias y al menos cuatro escenarios, si el golpe se consolida:

1)La repetición de golpes de estado similares al hondureño, es decir, revestidos de legalidad democrática, en la línea que Isabel Rauber define como neogolpismo: “El disfraz “democrático” del Golpe de Estado, anuncia el nuevo estilo autoritario de los poderosos y desnuda el contenido de su “democracia” de mercado: “Cuando me conviene sí, y cuando no me conviene: no.” No es la vuelta al pasado, no hay que equivocarse: Es el anuncio de los nuevos procedimientos de la derecha impotente. El neo-golpismo es “democrático” y “constitucional”. Honduras anuncia por tanto la apertura de una nueva era: la de los “golpes constitucionales”. Es esto lo que se está ensayando en Honduras: apelar a “canales” legales para poner fin por la fuerza a los procesos de cambio que están desarrollándose en el continente. Obviamente, como es natural, el ensayo se lleva adelante en territorios donde los costos políticos resultan menores porque los procesos sociales populares son más débiles, como es el caso de Honduras”.

2)El posible cambio de posición de la comunidad internacional. Si se repiten situaciones similares, ¿cómo se resolverá el conflicto entre la lógica de la defensa de la democracia y la lógica de penetración del capital estadounidense y europeo?

3)La proliferación de amenazas de golpe que, aunque no se concreten, generan reacomodos de fuerza, negociaciones cupulares y obtención de espacios de poder para sus promotores.

4)El escenario extremo, la existencia y el retorno a golpes de estado de factura claramente militar. El fascismo social propio de estos tiempos, definido por Boaventura de Sousa Santos, puede dar espacio al clásico fascismo político.

(...) Posiblemente entramos a un nuevo ciclo histórico de polarización, después de años de consensos (aparentes) y libertades (formales). Autoritarismo o transformación. No tenemos otras opciones."

Pendurados na Internet


A pesquisa “O Futuro da Mídia” desenvolvida pela Deloitte e pelo Harrison Group, marca sob a qual profissionais que atuam em diferentes firmas em todo o mundo colaboram para oferecer serviços de auditoria e consultoria, apresenta um quadro revelador das preferências de entretenimento dos brasileiros:

1º - Assistir a filmes em casa (não inclui filmes na TV): 55%
2º - Navegar na internet por interesses pessoais ou sociais: 53%
3º - Assistir à televisão: 46%
4º - Ouvir música (usando qualquer dispositivo: 36%
5º - Ir ao cinema: 30%
6º - Ler livros (impressos ou on-line): 25%
7º - Ler revistas (impressas ou on-line): 16%
8º - Jogar videogames ou jogos de computador: 14%
9º - Ouvir rádio: 13%
10º - Ler jornais (impressos ou on-line): 12%

A pesquisa Deloitte/Harrison faz referência a outra pesquisa divulgada em junho de 2008 pelo Ibope/Net Ratings sobre o surgimento das “redes sociais virtuais”, ou seja, os sites de relacionamento que reúnem internautas com os mesmos interesses. Segundo esta pesquisa, 18,5 milhões de pessoas haviam navegado neste tipo de site em maio de 2008. Se somados os fotologs, videologs e programas de mensagens instantâneas, o número salta para 20,6 milhões.

Enquanto 65,1% dos usuários mundiais de internet acessam emails, 66,8% acessam redes sociais. "E o Brasil é o líder absoluto em redes sociais, com 85% de seus internautas que acessam pelo menos uma rede social".

Os dados vêm confirmar a aplicabilidade da hipótese do “long tail” (Chris Anderson) à “cultura convergente” – como faz Henry Jenkins – e, particularmente, reafirmar a tendência já prevalente da contextualização, análise e organização capilar de conteúdos, inclusive os jornalísticos, em sites e blogs, deixando para trás os velhos modelos dos jornais impressos diários.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Honduras: aeroporto no domingo

Internet: dados UOL (3)

Internet: dados UOL (2)

Internet: dados UOL (1)

Últimas notícias de Honduras

Recebo as seguintes notícias da situação em Honduras:

"Son evidentes todos los esfuerzos desesperados del gobierno golpista por querer controlar y silenciar este pueblo por la fuerza. El día de ayer las cadenas repetitivas de prensa mostraban a un Micheletti junto a sus secuaces, desnudos ante la falta de argumentos que sustenten en el corto y mediano plazo su estrategia golpista... También ha quedado develada la gravedad de la jerarquía de una iglesia parcializada no en favor de las mayorías, sino al servicio de interes mesquinos. El cardenal Rodríguez, ha caído en la trampa de los gorilas, siendo instrumentalizado, al repitir palabras en cadena de prensa que no hacen más que preguntarnos si el espíritu de Jesús no está lejos de esas actitudes fariseicas. (...)
El Golpe de Estado ha cobrado su primera victima mortal confirmada. Muchos son los rumores que en otras parte del país han habido ya asesinatos por parte de las fuerzas oscuras del gobde Micheletti y la camarilla de asaltantes que lo acompañan en su fórmula presidencial. (...)
Sin embargo, el tiempo del golpismo tiene límites. El aislamiento internacional evidencia su nula credibilidad a la vez que expone sus múltiples debilidades. La poca planificación, su arrebato y la propia estupidez de sus ejecutores, ponen en precario su sostenibilidad... Mientras tanto, un pueblo se apropia día a día de las calles, se une, marcha, grita sus verdades, se organiza cada vez mejor y denuncia el Golpe de Estado como quien hablaba hace un par de semanas del partido de Futbol. La política es tema de los pobres, es ahora tema del pueblo. El poder desnuda sus debilidades en la medida que debe recurrir a la fuerza y en esa misma medida evidencia y desarrolla las fortalezas del movimiento popular.

Noticias sobre Honduras:
1) Telesur, que valientemente dió cobertura a todo la marcha del domingo 5 de julio: http://www.telesurtv.net/solotexto/senal_vivo.php
2) Radio Progreso, que ha recuperado su voz para seguir acompañando desde la fe el caminar de este pueblo: http://radioprogresohn.com/
3) Radio Cadena Mi Gente, que opera desde El Salvador, con voz desde las comunidades de Honduras: http://www.radiocadenamigente.net/home.htm?main=radio-en-vivo.htm
4) Video en el que se muestra que no somos 5 y no somos 100: http://www.youtube.com/watch?v=iw1Lys0vS6U
5) Galería de Imágenes con pie de foto en inglés: http://www.boston.com/bigpicture/2009/07/the_honduran_coup_detat.html (inglés)

domingo, 5 de julho de 2009

Mais notícias de Honduras


As notícias não são boas:
O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, não conseguiu hoje aterrissar em Tegucigalpa, como tinha anunciado, por conta do bloqueio da pista do aeroporto da cidade pelos militares, em um dia no qual a crise política aberta há sete dias fez a primeira vítima fatal. Um jovem de 19 anos, identificado como Isis Obed Murillo, morreu após levar um tiro na cabeça, e pelo menos outras dez pessoas ficaram feridas em confrontos entre seguidores de Zelaya e militares no aeroporto, para onde foram milhares de partidários do presidente destituído. Zelaya pousou em El Salvador logo após ser informado que os presidentes da Argentina, do Paraguai e do Equador o esperavam no aeroporto de San Salvador.

A última notícia divulgada pela Rede Telesur (e reproduzida pela Agência EFE) relatava que o avião que levava o presidente deposto de Honduras chegou ao aeroporto internacional El Salvador para se reunir com os presidentes da Argentina, Cristina Fernández, e do Equador, Rafael Correa, assim como com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza.

Notícias de Honduras

Aline Castro, da RED POR TI AMERICA
www.redportiamerica.com envia a seguinte notícia sobre Honduras:

"NOS PRÓXIMOS MINUTOS, em avião brasileiro, o Presidente deposto Mel Zelaya, chega a Honduras em comitiva de presidentes das Repúblicas de Argentina, Ecuador, Paraguay, além de Inzulsa, Secretário Geral da OEA, uma comitiva dos conselheiros (inclusive o de Brasil) na OEA, além de um avião com jornalistas internacionais.
O aeroporto de Honduras está completamente cerrado, com os aviões do governo golpista.
a SEDE DO EDIFICIO DA CORTE SUPREMA DE JUSTIÇA E AS INSTALAÇÕES DO AEROPORTO DE TEGUCIGALPACESTÁ CHEIO DE FRANCO ATIRADORES!!!"

O Poder da Blogosfera: um blog a cada segundo


Os internautas do mundo inteiro criam um blog a cada segundo. De acordo com a empresa Technorati, que mede o número de diários virtuais publicados na web, havia 14,2 milhões de endereços desse tipo no final de julho de 2005. A quantidade de blogs duplica a cada cinco meses. Atualmente, 80 mil novas páginas surgem a cada dia. Dos 14,2 milhões de blogs, 55% são considerados ativos, ou seja, foram atualizados nos últimos três meses. Cerca de 1,8 milhão de diários virtuais (13%), por sua vez, recebem novos posts semanalmente.
A mesma empresa lançou, em 2007, a lista dos 50 blogs brasileiros mais populares. Os blogs de jornalistas de destaque apareceram discretamente na listagem. Em 2006, apenas dois jornalistas tradicionais ganharam destaque (Josias de Souza e Noblat). Na lista de 2007, o número subiu um pouco. Alguns analistas afirmam que nome no mundo real não vale muito no digital. Daí a inquietação da grande imprensa (e do senador Eduardo Azeredo) em relação à esta concorrência. O New York Times calculou, no início deste ano, que para manter uma redação independente e suprida suficientemente para realizar um bom jornalismo, seriam necessário 5 bilhões de dólares anualmente (o arrecadado com publicidade, online ou impressa, e circulação). A Wikipedia conseguiu arrecadar 6,2 milhões de dólares em sua última campanha para angariar fundos.
Tenho cá minhas dúvidas se medir popularidade por número de acessos é totalmente correto (correto é, mas não estou convencido que é um instrumento conclusivo ou exclusivo), já que os blogs se comunicam. Eliminaríamos automaticamente os blogs locais ou temáticos, menos acessados que os genéricos. Mas estamos comentando a blogosfera, uma rede, não uma banca de jornais.
De qualquer maneira, trata-se de um poder emergente.

Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral propõe pressão contra PL 5.498/09


O Projeto de Lei (PL) 5.498/09 deverá ser votado no próximo dia 07/07 pelo Congresso Nacional. O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) alerta para os riscos deste projeto de lei que permitirá candidaturas de pessoas com problemas em suas prestações de contas de campanha ou mesmo com contas rejeitadas, conforme redigido em seu artigo 3º. O MCCE propõe articulação da sociedade civil contra este PL. Para maiores informações, envie email para comunicacaomcce@gmail.com ou acesse www.mcce.org.br

Falecimento de Jorge Enrique Adoum


O escritor Jorge Enrique Adoum, considerado como o maior intelectual do Equador, faleceu, hoje, aos 84 anos. Poeta, foi secretário particular de Pablo Neruda, no Chile . Recebeu o Premio Casa de las Américas (Cuba) e o Premio Xavier Vallaurrutia (México). Tinha sido indicado para o Premio Cervantes 2009.

Desmascarando Aécio Neves

Está em andamento o Fórum Sindical e Social - Desmascarando Aécio Neves que promove, em Belo Horizonte, entre os dias 3 de julho e 12 de agosto, encontros temáticos
preparatórios para o seminário Desmascarando o Choque de Gestão - balanço do governo Aécio Neves 2003/2008."
As atividades são coordenadas alternadamente, pelos sindicatos que compõem o fórum (o fórum é composto por 24 entidades). No dia 3 de julho foi a vez do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita de Minas Gerais (Sindifisco-MG), que ficou responsável pela discussão do tema “Gestão e Finanças Públicas”, além do SINPRO, que organizou evento sobre educação mineira. Ao final de nove encontros, será gerado um relatório para as áreas de educação, gestão e finanças, políticas urbanas, saúde, mídia e comunicação, relações com sindicatos e movimentos sociais, saneamento, energia e gestão da Cemig (Companhia Energética do Estado de Minas Gerais.

Ainda sobre aS EsquerdaS


Recebo de Julio Carmona, do Peru, uma mensagem que faz coro ao nome deste blog:
"Los anarquistas son una expresión especial de maximalismo: quieren el poder para crear una sociedad absolutamente libre, en que no exista estado, gobierno ni leyes. Y, a propósito, cuenta una anécdota que un grupo de anarquistas se reunieron para redactar una ley a la que denominaron “Código anarquista” y cuyo primer artículo decía: “Estamos en contra de toda ley”. Uno de los concurrentes reparó en la flagrante contradicción en que estaban incurriendo. ¿Cómo se puede estar en contra de toda ley a través de otra ley? Entonces, por unanimidad, adoptaron el acuerdo de redactar un segundo artículo que decía: “Queda derogado el artículo 1°”.

sábado, 4 de julho de 2009

Honduras: o retorno do presidente deposto


Recebo a seguinte mensagem do Minga Informativa de Movimientos Sociales:

"En un mensaje al pueblo hondureño, el presidente hondureño Manuel Zelaya ratificó que mañana, domingo, llegará al aeropuerto de Tegucigalpa, junto con varios presidentes y miembros de la comunidad internacional. Por lo cual instó a acompañarle en su llegada, "a todos los campesinos, a las amas de casa, a los pobladores, los indígenas, a los jóvenes y a todas los grupos de trabajadores, empresarios y amigos políticos que tengo en todo el territorio nacional, alcaldes, diputados", subrayando que no lleven armas. "Hago responsables a los golpistas de cada vida, de cada persona, de cada integridad física y dignidad del pueblo
hondureño", advirtió."

A mensagem deixa transparecer a instrumentalização política que Zelaya pretende entabular com este retorno-espetáculo:

"Estoy dispuesto a hacer cualquier esfuerzo y sacrificio por obtener la libertad que nuestro país necesita, o somos libres o seremos esclavos en forma permanente sino tenemos el valor de defendernos", declaró.

(A mensagem de Zelaya pode ser acessada aqui )

Por outro lado, as marchas continuam ocorrendo na capital de Honduras. Há denúncias que militares pressionam comunidades rurais, que impedem que as marchas cheguem à capital.

De esquerda em esquerda


Almeida, que dirige a Fundação Astrojildo Pereira e o PPS, solicitou que eu fizesse revisão da transcrição de minha fala na Conferência Caio Prado Júnior, ocorrida em Brasília. A mesa discutia o tema "Identidade da Esquerda" e participamos eu, o filósofo Ruy Fausto, a historiadora Ester Kuperman e o sociólogo Caetano Araújo. Ao reler minha fala, veio à tona o quanto a esquerda é plural e como necessita se relembrar que é necessário que seja democrática. Este é o motivo do título deste blog. Para simplificar, nesta manhã de sábado, resolvi ilustrar esse pensamento com a famosa mensagem que Trotsky enviou à tripulação do Kronstadt, uma das passagens mais tristes da história da esquerda mundial. Trotsky foi algoz dos anarquistas russos, tendo como expoente anarquista Nestor Makhno (a foto, ao centro). Este "realismo político" que leva tons sádicos foi servido dramaticamente ao próprio Trotsky, quando no exílio, no México.
Vamos à mensagem:

"O governo operário e camponês decretou que Kronstadt e os navios rebeldes devem submeter-se imediatamente à autoridade da República Soviética.. Portanto, ordeno a todos que levantaram a mão contra a pátria socialista que deponham as armas de imediato. Os desobedientes serão desarmados, detidos e entregues às altas autoridades soviéticas. Os comissários e outros representantes do governo que se encontram detidos, devem ser libertados já. Só quem se render incondicionalmente poderá contar com a misericórdia da República Soviética. Ao mesmo tempo, ordenamos que seja preparada a repressão e a submissão dos amotinados pelas armas. Toda responsabilidade pelos prejuízos que possa sofrer a população pacífica recairá sobre os amotinados contra-revolucionários.
Esta advertência é a definitiva."
Trotski, Kamenev. "Ultimatum a Kronstadt", 5 março 1921

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Sujeira embaixo do tapete


Sete das dez cidades que apresentaram os melhores números no atendimento de saneamento para sua população ficam em São Paulo. Entre 79 cidades brasileiras com mais de 300 mil habitantes, Franca, no interior paulista, é a que oferece à população o melhor serviço de saneamento básico disponível, conforme pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo Instituto Trata Brasil. Por ordem, as dez primeiras colocadas, além de Franca, são: Uberlândia (MG), Sorocaba (SP), Santos (SP), Jundiaí (SP), Niterói (RJ), Maringá (PR), Santo André (SP), Mogi das Cruzes (SP) e Piracicaba (SP). A capital mais bem colocada no ranking é Curitiba (PR), no 11º lugar. São Paulo aparece na 21ª colocação e o Rio de Janeiro, na 36ª.
Segundo o estudo, baseado em dados do Sistema Nacional de Informação sobre Saneamento do Ministério das Cidades, as cidades brasileiras avançaram 14% nos serviços referentes a esgotos e 5% no tratamento entre os anos de 2003 e 2007, mas, para os pesquisadores, os números ainda são insuficientes. A coleta de esgoto é muito pior que a coleta de lixo e o acesso às redes de água e eletricidade.
Entre as cidades com piores serviços de saneamento básico, quatro estão localizadas no estado do Rio de Janeiro: São Gonçalo, Duque de Caxias, Nova Iguaçu e São João de Meriti. Também fazem parte da lista as capitais de Rondônia (Porto Velho), do Pará (Belém) e do Amapá (Macapá) e as cidades de Cariacica, no Espírito Santo, Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, e Canoas, no Rio Grande do Sul.
O estudo também levou em consideração a percepção das pessoas sobre os serviços públicos disponíveis, baseando-se em dados da Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar (Pnad) de 2007, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com esse levantamento, apenas 49,44% da população brasileira tem rede de esgoto. O número é muito inferior ao da rede de água encanada (81,11%), de lixo coletado (86,79%) e de eletricidade (98,18%).
Para acesso ao site da entidade que promoveu a pesquisa, clique aqui.

Senador e deputado custam caro para brasileiro


Estudo da ONG Transparência Brasil mostra que o brasileiro é quem paga mais caro para manter um mandato de senador ou deputado entre oito países examinados (Brasil, Chile, México, Estados Unidos, Alemanha, França, Grã-Bretanha e Itália).
Segundo o estudo, cada deputado brasileiro custa para o cidadão 2 vezes mais do que um norte-americano, 5,5 vezes mais do que um alemão, 6 vezes mais do que um francês e 6,5 vezes mais do que um britânico. Já um senador brasileiro custa em termos reais mais de 3 vezes que um chileno.
Insisto: não há motivos para o Brasil possuir um sistema bicameral. O Senado não tem sentido, desde sua criação, em nosso país.

Reforma Tributária: o surrealismo no país da Alice


Recebo notícias de Evilásio Salvador, secretário do FBO, a respeito da reforma tributária. Cada notícia, uma surpresa. Vejam:

"1. A reunião de líderes na Câmara transferiu para agosto a entrada em pauta da reforma tributária. O que se percebe é um certo isolamento do Dep. Sandro Mabel. Ao que tudo indica virou questão de honra para o deputado colocar seu relatório em votação. Veja abaixo pequena nota que saiu no Correio Braziliense:
"Correio Braziliense, 1 de julho de 2009.

Irritado com o engavetamento da reforma tributária, o líder do PR e relator da proposta, Sandro Mabel (PR-GO), fez um pedido inusitado, ontem, ao presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP): levar a matéria ao plenário para retirá-la da pauta após alguns discursos. Temer não o levou a sério. "

2. Na reunião do Conselho Político, o Presidente Lula, pediu a votação da Contribuição Social para a saúde. O que indica uma contradição em relação ao debate da reforma tributária e também pode sinalizar que o governo não esta mais priorizando a reforma."

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Honduras e Bandwagoning


Bandwagoning é um termo muito utilizado em teoria das relações internacionais para definir a aliança de um país a uma coalizão ou nação hegemônica (originário da expresssão "jump on the bandwagon", quando eleitores pulam no carro de som de candidatos norte-americanos). O caso do golpe em Honduras me fez lembrar do conceito. Os EUA vinham reconstruindo seu projeto ALCA através de adesões individuais, via Tratado de Livre Comércio. Envolvia os países da América Central, em especial. Mas, eis que surge o chavismo, que propõe um balanceamento, termo do mesmo campo teórico que significaria uma aliança que se contrapõe à coalizão hegemônica. Honduras caiu neste pêndulo e, recentemente, o Presidente deposto se aproximou da articulação bolivariana. O racha foi realizado no interior do Partido Liberal, hegemônico naquele país que, como o nome diz, não se alinha à esquerda. O afastamento de Obama da estratégia intervencionista clássica dos EUA parece propiciar este pêndulo. Algo um tanto esdrúxulo.

A final dos clubes mais que populares


Só para lembrar: o Inter foi fundado por anarquistas – por isso vermelho e o nome em homenagem ao hino dos proletários- e o Corinthians foi fundado por proletários paulistas em resposta ao elitismo e a “proibição” dos pobres jogarem bola. Essa informação foi dada pelo grande John Kennedy Ferreira, corinthiano da gema.
Um último comentário sobre a Grande Vitória: o clip que os jogadores do Timão assistiram antes do jogo é de arrepiar! Acho que se a torcida do Inter tivesse assistido, teria apoiado o Timão.

Timão: não tem preço


Temporada 2009

41 Jogos
22 Vitórias
15 Empates
4 Derrotas
68 Gols Pró

Campeão da Copa do Brasil
Quase campeão da Libertadores 2010

Precisa mais?

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Sarney na corda bamba


Com a retirada de apoio do DEM, a situação de Sarney se complica. O jogo, contudo, continua muito imprevisível.
Primeiro, por conta do processo de decisão do DEM. Se não retirasse o apoio ao Sarney (seu desde sempre aliado), deixaria o PSDB e PSOL isolados no ataque ao Sarney. Pensando em 2010, a situação se complicaria, porque deixaria o PSDB isolado como anti-lulismo, o que poderia roubar muitos votos dos democratas (que já estão bem anêmicos). Esta retirada de apoio, contudo, não deve ter sido emocionalmente fácil.
Segundo, Sarney está efetivamente se isolando, mas possui dois trunfos. Um deles é o apoio de Lula, que está criando uma saia justa na direção do PT. Mas o outro trunfo atende pelo nome de "tempo". E essa parece ser a tática de momento de Sarney. Ele tenta antecipar o recesso e ganhar tempo, apostando que o tema vá perdendo espaço. O processo de afastamento é bem lento: a) o PMDB terá que indicar seus representantes no Conselho de Ética. Imagino que se Lula pressionar, não o farão tão já; b) com o Conselho completo, o presidente deste Conselho analisa o pedido de afastamento (apresentado formalmente pelo PSOL); c) o Conselho vota; d) o relator apresenta parecer; e) vai para a Comissão de Constitucionalidade e Justiça; f) é votado no plenário do Senado.